Edinho: é natural delegar articulação ao PMDB

Segundo o novo ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, "estamos falando de um partido da coalizão, do vice-presidente da República (Michel Temer) assumir um papel de articulação política o que é absolutamente natural"; mas ressaltou que "quem governa é a presidente"

Segundo o novo ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, "estamos falando de um partido da coalizão, do vice-presidente da República (Michel Temer) assumir um papel de articulação política o que é absolutamente natural"; mas ressaltou que "quem governa é a presidente"
Segundo o novo ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, "estamos falando de um partido da coalizão, do vice-presidente da República (Michel Temer) assumir um papel de articulação política o que é absolutamente natural"; mas ressaltou que "quem governa é a presidente" (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Designado novo ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, disse ver com “naturalidade” delegar a articulação ao PMDB. Tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, ele diz que "estamos falando de um partido da coalizão, do vice-presidente da República (Michel Temer) assumir um papel de articulação política o que é absolutamente natural", mas ressaltou que "quem governa é a presidente".

Em entrevista ao Valor, Edinho diz ainda que, com sua capacidade de diálogo, a crise política tende a refluir. "Daqui a pouco as coisas se acomodam, a correlação de forças se estabiliza, a governabilidade se pacifica e a vida continua", afirmou.

Ele minimizou ainda a agitação nas ruas: "Se a França fosse entrar em crise a cada manifestação que existisse nas principais cidades francesas, não existiria governo. Mobilização num país democrático tem que ser tratada com naturalidade, vamos ter mobilização no domingo e na segunda-feira, o governo vai continuar existindo, vai continuar trabalhando" (leia mais).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247