Elefante verde no Distrito Federal

GDF gastou R$ 56 milhes para transformar o Bezerro, no Distrito Federal, em arena multiuso, com padres internacionais; mas o estdio no recebe nem jogos importantes, nem shows

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jéssica Paula_247 – Após dois anos de reforma, o Estádio Valmir Campelo Bezerra, mais conhecido como Bezerrão, foi reinaugurado em novembro de 2008 com um amistoso entre as seleções do Brasil e de Portugal. O Brasil ganhou por 6 a 2, o público foi de 19.157 pessoas e o então governador José Roberto Arruda fez uma grande festa.

O estádio é bonito. O projeto da reforma foi do arquiteto Ruy Ohtake. O governo do Distrito Federal, dono do estádio, gastou R$ 56 milhões na obra. A cidade do Gama e a Sociedade Esportiva do Gama, o clube de futebol que manda seus jogos no Bezerrão desde 1977, se orgulharam por ter uma bela arena multiuso – denominação pomposa que, agora, se dá a estádios de futebol.

Mas, desde então, nada mais aconteceu no estádio, além de alguns jogos com público reduzido e um incidente grave: em 7 de dezembro de 2008, quando jogavam São Paulo e Goiás, um torcedor do São Paulo foi baleado por um sargento da PM. O jogo foi em Brasília porque o Serra Dourada, em Goiânia, estava interditado. Foi a segunda vez que o Bezerrão foi notícia nacional.

O Gama disputa a série D do Campeonato Brasileiro. Por mais que tenha uma grande torcida para os padrões brasilienses, seus jogos não atraem público suficiente para ocupar os 20.310 assentos. Na arena multiuso ainda não houve shows e ocorreu apenas um evento popular, as Olimpíadas Escolares do Gama.

Uma boa solução para ocupar o estádio seria trazer para Brasília jogos das séries A e B do Brasileirão, já que quase todos os principais times brasileiros têm grande torcida em Brasília. Em alguns jogos, a renda, com 20 mil espectadores, seria superior à que esses clubes têm em suas cidades.

A diretora administrativa do estádio, Meire de Souza, afirma que é preciso mudar a estratégia para receber torcedores. "Com o público mais próximo do gramado, é necessário apoio da polícia militar no reforço da segurança", explica. O estádio não tem o fosso que deixa a torcida distante do campo.

Por isso, segundo ela, são permitidos apenas jogos da Copa do Brasil que envolvam times do DF, podendo ser abertas exceções para clubes de outras cidades que tenham problemas em sediar jogos. No dia 18, haverá disputa pelo campeonato feminino de futebol entre Santos (SP) e Cresspom (DF), a única equipe brasiliense na disputa, mas não há previsão para outros jogos.

Padrão internacional

A reforma foi acompanhada por uma equipe da Federação Internacional de Futebol (Fifa) para que tivesse padrões europeus em sua estrutura. Há, por exemplo, 144 lugares reservados para portadores de necessidades especiais, que contam com rampa exclusiva de acesso para o meio das arquibancadas. Além disso, três geradores estão preparados para entrar em ação se houver interrupção do fornecimento de energia elétrica.

Apesar de o Bezerrão ser mantido com dinheiro público, a Secretaria de Esporte do DF afirma não saber quanto custa sua manutenção, já que a verba para isso não está especificada na planilha de custos. Os dados não podem ser encontrados nem mesmo no Portal da Transparência.

A bilheteria dos jogos fica para o time que aluga o estádio. É necessário pagar uma taxa de uso, que custa de R$ 6 mil a R$15 mil. O valor varia de acordo com o público previsto e o destino da renda. Eventos beneficentes, por exemplo, costumam pagar menos.

A vila olímpica construída em volta do estádio deve ser inaugurada neste ano. Faltam apenas acabamentos. "As piscinas e quadras devem estar prontas ainda em agosto", diz Meire. Das estruturas que compõem o local, apenas a academia não está preparada. O anfiteatro recebeu o Festival de Música Popular do Gama, em outubro passado, mas o restante da estrutura não é utilizado.

Lá ficam vestiários completos, piscinas comuns e de hidromassagem, além de quadras poliesportivas. A diretora afirma que até 2014 a área estará completamente preparada para treinos de equipes que virão a Brasília para a Copa do Mundo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email