Eliton: prefeitura politiza debate sobre Saneago

Vice-governador diz que estatal trabalha para oferecer o melhor serviço de tratamento e distribuição de água aos moradores de Goiânia. Vice-prefeito Agenor Mariano diz que Executivo municipal pensa em romper contrato com a estatal e assumir o serviço. Saneago rebateu e diz que compromisso firmado vale até 2023 e foi assinado por Iris Rezende

Eliton: prefeitura politiza debate sobre Saneago
Eliton: prefeitura politiza debate sobre Saneago
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247_ O debate e a polêmica foram levantados pela prefeitura de Goiânia neste início de ano e agora a Saneago passou a ser o foco do confronto entre Paço Municipal e governo do Estado. O novo vice-prefeito Agenor Mariano (PMDB) disse que a prefeitura pensa em romper o contrato de concessão e distribuição de água com a Saneago. O vice-governador José Eliton afirma que o debate está sendo politizado e não vê razão para o rompimento do contrato.

Agenor disse que o Estado não investe na empresa estatal e assim não consegue atender a demanda dos goianienses. “A nova composição da prefeitura de Goiânia iniciará estudos, tanto jurídicos quanto técnicos, para retomar a concessão do tratamento e da distribuição de água do municipio de Goiania”.

Na esteira de Agenor, Iris Rezende continuou as críticas e disse que a prefeitura tem condições de assumir o tratamento de água e distribuição de água da Capital. Foi durante a última gestão de Iris que o contrato que concedia o tratamento de água à Saneago foi assinado. O acordo é válido até 2023.

A resposta do governo Marconi Perillo foi imediata. Primeiro, em nota assinada pelo Diretor Financeiro Júlio César Vaz de Melo, a Saneago diz que Agenor Mariano equivocou-se ou foi mal orientado quando falou em romper o contrato de concessão.

“Não dá pra politizar todo e qualquer debate, é preciso discutir as coisas a fundo. O que nós temos que discutir é: quais são as estratégias financeiras e a engenharia que vamos construir para garantir que o Estado de Goiás possa fornecer e tratar a água de todas as cidades. Eu prefiro um debate mais aprofundado”, rebateu José Eliton.

O vice-governador em exercício analisou que não interessa ao cidadão, que é beneficiado pela água que chega tratada na torneira, quem vai realizar a distribuição, se ela permanecer igual. “O que interessa é a prestação de serviço e a Saneago tem o compromisso com o cidadão goiano de dar esse serviço a ele”, completou.

Nota à imprensa da Saneago

O vice-prefeito eleito de Goiâia, por desinformação ou falta de experiência administrativa, equivocou-se ou foi mal orientado quando falou em romper o contrato de concessão do Município de Goiânia com a Saneago.

Existe uma concessão em vigor. O ex-prefeito Iris Rezende assinou um contrato, com validade até 2023. Contratos são assinados para serem cumpridos e respeitados. Não acreditamos que o prefeito Paulo Garcia queira adotar como regra, em sua administração, quebras de contratos. E nem que irá começar a revisar as decisões tomadas pelo ex-prefeito Iris Rezende, colocando em dúvida a responsabilidade e seriedade do ex-gestor. Rescisões de contratos não são ações unilaterais e simples como imagina o vice-prefeito Agenor Mariano.

Nossa Capital enfrenta vários problemas nas áreas de educação, saúde, trânsito, transporte coletivo, entre outros. Será que ao invés de gastar tempo e recursos para tentar romper um contrato que está sendo bem executado como o da Saneago, onde já foram universalizados 100% de água e 86% de esgoto, a prefeitura não deveria se preocupar com os serviços que não andam bem em outras áreas?

Parece-nos um enorme equívoco discutir o rompimento do contrato do município com a Saneago, no momento em que concluímos a barragem do João Leite e estamos finalizando a construção da ETA Mauro Borges e a adutora, o que garantirá o fornecimento de água para toda a região metropolitana de Goiânia por, no mínimo, mais 40 anos.

Se existe um serviço bem prestado em nossa Capital é o que a Saneago oferece à nossa população. Portanto, não acreditamos que o prefeito Paulo Garcia possa concordar com a quebra de um contrato que vem sendo cumprido satisfatoriamente.

Júlio César Vaz de Melo

Diretor Financeiro da Saneago

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email