Em Minas, Bolsonaro diz que vai criar uma saída para o mar no estado

Em plena campanha presidencial, o parlamentar desembarcou nesta quinta-feira (14) em Belo Horizonte e disparou mais uma de suas pérolas: prometeu abrir em Minas Gerais uma "saída para o mar"; "Nós vamos explorar as nossas riquezas, quem sabe até abrindo uma saída para o mar para Minas Gerais", afirmou em um palanque improvisado por seus seguidores logo na saída do aeroporto de Confins; "Se matar preciso for, que mate (...) Se o estado bota uma arma na cintura de vocês, ou um fuzil no peito, é para usar"

Em plena campanha presidencial, o parlamentar desembarcou nesta quinta-feira (14) em Belo Horizonte e disparou mais uma de suas pérolas: prometeu abrir em Minas Gerais uma "saída para o mar"; "Nós vamos explorar as nossas riquezas, quem sabe até abrindo uma saída para o mar para Minas Gerais", afirmou em um palanque improvisado por seus seguidores logo na saída do aeroporto de Confins; "Se matar preciso for, que mate (...) Se o estado bota uma arma na cintura de vocês, ou um fuzil no peito, é para usar"
Em plena campanha presidencial, o parlamentar desembarcou nesta quinta-feira (14) em Belo Horizonte e disparou mais uma de suas pérolas: prometeu abrir em Minas Gerais uma "saída para o mar"; "Nós vamos explorar as nossas riquezas, quem sabe até abrindo uma saída para o mar para Minas Gerais", afirmou em um palanque improvisado por seus seguidores logo na saída do aeroporto de Confins; "Se matar preciso for, que mate (...) Se o estado bota uma arma na cintura de vocês, ou um fuzil no peito, é para usar" (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vem fazendo escola com suas ideias lunáticas. Aqui no Brasil, o deputado federal é o primeiro aluno dessa escola. Em plena campanha presidencial, o parlamentar desembarcou nesta quinta-feira (14) em Belo Horizonte e disparou mais uma de suas pérolas: prometeu abrir em Minas Gerais uma "saída para o mar".

"Nós vamos explorar as nossas riquezas, quem sabe até abrindo uma saída para o mar para Minas Gerais", afirmou em um palanque improvisado por seus seguidores logo na saída do aeroporto de Confins.

Em sua fala, Bolsonaro repetiu outras posições suas já conhecidas com a repulsa à questão da diversidade sexual. Ele aproveitou o ensejo, ainda, para atacar a exposição "Queermuseu", de Porto Alegre, que foi fechada no último domingo (10) após protestos da direita.

"Esses picaretas do Santander vão conhecer o poder, a força contra quem quer sodomizar as nossas crianças. Escola não é lugar para criança aprender sexo", disse.

Direitos Humanos, para o deputado, também é uma pauta que prometeu desprezar se for eleito presidente em 2018. "Deixo bem claro que essa canalhada dos direitos humanos não vai ter um centavo", afirmou.

Como de praxe, Bolsonaro aproveitou ainda para fazer sua habitual apologia à militarização e à violência. "Se matar preciso for, que mate (...) Se o estado bota uma arma na cintura de vocês, ou um fuzil no peito, é para usar".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247