Em protesto contra Agamenon, Lucimara mostra a calcinha

Vereadora Lucimara Passos (PC do B) surpreendeu o plenário da Câmara de Aracaju, nesta terça (25), ao mostrar uma calcinha, durante discurso em protesto a recentes declarações do também vereador Agamenon Sobral (PP); na semana passada, ao relatar o suposto caso de uma noiva que teria tentado se casar na igreja sem estar usando calcinha, o parlamentar afirmou que a mulher merecia levar uma surra e a chamou de "vagabunda"; “Não é o uso da calcinha que define o caráter da mulher. A mulher não deve ser julgada pela vestimenta e muito menos por uma calcinha que veste, ou não. Trago uma calcinha no bolso e mostro agora aqui na tribuna. Será que serei julgada e condenada a uma surra por isso?”, questionou ela, erguendo uma calcinha

Vereadora Lucimara Passos (PC do B) surpreendeu o plenário da Câmara de Aracaju, nesta terça (25), ao mostrar uma calcinha, durante discurso em protesto a recentes declarações do também vereador Agamenon Sobral (PP); na semana passada, ao relatar o suposto caso de uma noiva que teria tentado se casar na igreja sem estar usando calcinha, o parlamentar afirmou que a mulher merecia levar uma surra e a chamou de "vagabunda"; “Não é o uso da calcinha que define o caráter da mulher. A mulher não deve ser julgada pela vestimenta e muito menos por uma calcinha que veste, ou não. Trago uma calcinha no bolso e mostro agora aqui na tribuna. Será que serei julgada e condenada a uma surra por isso?”, questionou ela, erguendo uma calcinha
Vereadora Lucimara Passos (PC do B) surpreendeu o plenário da Câmara de Aracaju, nesta terça (25), ao mostrar uma calcinha, durante discurso em protesto a recentes declarações do também vereador Agamenon Sobral (PP); na semana passada, ao relatar o suposto caso de uma noiva que teria tentado se casar na igreja sem estar usando calcinha, o parlamentar afirmou que a mulher merecia levar uma surra e a chamou de "vagabunda"; “Não é o uso da calcinha que define o caráter da mulher. A mulher não deve ser julgada pela vestimenta e muito menos por uma calcinha que veste, ou não. Trago uma calcinha no bolso e mostro agora aqui na tribuna. Será que serei julgada e condenada a uma surra por isso?”, questionou ela, erguendo uma calcinha (Foto: Valter Lima)

Valter Lima, do Sergipe 247 - A vereadora Lucimara Passos (PC do B) surpreendeu o plenário da Câmara de Aracaju, na manhã desta terça-feira (25), ao mostrar uma calcinha, durante discurso em protesto a recentes declarações do também vereador Agamenon Sobral (PP). Na semana passada, ao relatar o suposto caso de uma noiva que teria tentado se casar na igreja sem estar usando calcinha, o parlamentar afirmou que a mulher merecia levar uma surra. Hoje, em entrevista de rádio, ele voltou a se colocar favorável à violência. O ato de Lucimara, explicou ela, foi para protestar contra a atitude do vereador.

“Não é o uso da calcinha que define o caráter da mulher. A mulher não deve ser julgada pela vestimenta e muito menos por uma calcinha que veste, ou não. Trago uma calcinha no bolso e mostro agora aqui na tribuna. Será que serei julgada e condenada a uma surra por isso?”, questionou ela, erguendo uma calcinha.

Para Lucimara, Agamenon pratica um crime ao incitar a violência. “O vereador estimula a violência contra a mulher e faz isso usando a tribuna e a imprensa dizendo que a mulher merecia ser surrada. Ele comete um crime e ajuda a aumentar a estatística da violência contra a mulher. Não existe justificativa que dê direito de dizer que a mulher deveria ser surrada”, afirmou.

No discurso, a parlamentar lembrou que Agamenon chegou a denominar a suposta noiva de “vagabunda”. “Triste é saber que nós, enquanto legisladores, tivemos o desprazer de ouvir dentro desta Casa Legislativa, um vereador estimular a violência, como fez o vereador Agamenon na semana passada, quando utilizou o espaço da tribuna para rotular uma mulher de vagabunda e condená-la a uma surra por estar sem calcinha no seu casamento. Repetiu várias vezes que a mulher deveria ser surrada por ser ‘vagabunda’. Este foi um ato criminoso que merece punição”, criticou.

A vereadora cobrou da Mesa Diretora da Câmara que se posicione sobre o discurso de Agamenon. “Esta Casa fechou os olhos e tornou-se conivente com os crimes que o vereador comete utilizando a tribuna, ao não julgar os pedidos de quebra de decoro. Essa casa legislativa não pode proceder dessa maneira, com ato criminoso. Sei que já existe uma resposta ao pedido de quebra de decoro, mas a decisão nunca é proferida por questões políticas”, criticou.

Ao 247, a vereadora disse que Agamenon estava “meio apagadinho” da imprensa e resolveu c om este discurso chamar a atenção. “Ele resolveu aparecer brincando com um assunto muito sério para trazer os holofotes para ele. O vereador resolveu fazer isso próximo ao dia de combate à violência contra a mulher, mas consequência do ato dele é muito danosa”, alertou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247