'Em vez de vazar áudio, vaze do cargo', diz Humberto a Temer

Líder do Governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), fez um duro discurso de resposta ao vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), em razão do áudio em que o vice aparece fazendo um discurso como se a presidente Dilma Rousseff tivesse sido afastada; "Chega de cartas vazadas com tintas de mesquinhez. Chega de áudios vazados com discursos em falsete. Vaze do cargo, se ele não lhe contempla mais, se não tem mais apreço em seguir onde está. Vá às ruas, converse com os brasileiros, conquiste votos e, por meio de eleição, tente entrar legitimamente no Palácio do Planalto", disse; "Temer opera dia e noite para empurrar a presidenta da cadeira que ela conquistou por meio do voto popular", completou

Comissão de Assuntos Sociais (CAS) realiza reunião para apreciação do projeto que autoriza o uso da fosfoetanolamina por pacientes com câncer. À bancada, senador Humberto Costa (PT-PE). Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Comissão de Assuntos Sociais (CAS) realiza reunião para apreciação do projeto que autoriza o uso da fosfoetanolamina por pacientes com câncer. À bancada, senador Humberto Costa (PT-PE). Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - O líder do Governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), fez um duro discurso de resposta ao vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), em razão do áudio em que o vice aparece fazendo um discurso como se a presidenta Dilma Rousseff tivesse sido derrubada do cargo. De acordo com Humberto, Temer deve deixar o cargo se não se sentir mais contemplado e não tiver mais apreço em seguir onde está.

Para o senador, o áudio de Temer é de uma infâmia inominável e demonstra que o peemedebista é um Conspirador-Geral da República instalado ao lado do Palácio do Planalto, traindo a confiança de uma mulher honrada, que foi sua companheira de chapa por duas vezes.

"Chega de cartas vazadas com tintas de mesquinhez. Chega de áudios vazados com discursos em falsete. Vaze do cargo, se ele não lhe contempla mais, se não tem mais apreço em seguir onde está. Vá às ruas, converse com os brasileiros, conquiste votos e, por meio de eleição, tente entrar legitimamente no Palácio do Planalto", declarou.

O líder do Governo avalia que a fala de Temer, vazada ontem, escancara a forma absolutamente desleal e mesquinha com que ele vem agindo "nas sombras, tramando a derrubada da chefe do Executivo". "Temer opera dia e noite para empurrar a presidenta da cadeira que ela conquistou por meio do voto popular", disparou.

O parlamentar comentou que a rampa do Planalto está lá para ser galgada por qualquer brasileiro. "Mas ela não fica nos fundos do Palácio. Ela fica na frente, exatamente por onde Lula e Dilma subiram, cada um, por duas vezes, graças aos votos da expressiva maioria do povo brasileiro", observou.

Humberto lamentou a sequência de fatos "dantescos" registrados já no início da semana, incluindo a aprovação do relatório pró-impeachment na comissão da Câmara dos Deputados.

Ele ressaltou que foi uma ironia da História assistir ontem "àquela anomalia jurídica" produzida pelo deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que é dentista de formação, ser entregue ao país tendo como fundo o quadro Tiradentes ante o carrasco, uma figura que foi injustamente imolada pela traição de terceiros.

"Esta mesma situação que, agora, querem reproduzir, de forma política, com outra mineira, a presidenta Dilma, às vésperas do mesmo 21 de abril em que o mártir da Inconfidência foi covardemente executado", afirmou.
O líder do Governo lembrou que o colegiado responsável pela análise do processo de impedimento da presidenta foi montado a dedo pelo "golpista e revanchista" Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, réu por corrupção no Supremo Tribunal Federal (STF).

"Faz parte de mais um ato de vergonha por parte da Câmara ver que mais da metade dos 38 parlamentares que votou ontem para processar Dilma por um crime que ela não cometeu responde a inquéritos na Justiça, entre eles o próprio relator, Jovair Arantes", sublinhou. "Dilma não responde a nada nos tribunais", destacou.

Para o líder do Governo, é vexatório ver o nível a que Cunha e Temer reduziram os seus respectivos cargos, em total desapreço às instituições republicanas e à democracia. "Nenhum dos dois merece as cadeiras em que estão sentados porque as utilizam descaradamente para a satisfação de vontades pessoais e caprichos políticos, ao trabalhar por esse nefasto e grotesco golpe", disparou. "Mas nós vamos derrubar essa farsa tão logo ele chegue no plenário da Câmara".

*Com informações da Assessoria de Imprensa

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247