Encerrada a greve da Petroquímica

Odebrecht atende s reivindicaes dos operrios, que se encontravam paralisados desde a ltima sexta-feira (17); os funcionrios reclamavam de uma distoro no pagamento da participao nos lucros e resultados (PLR)

Encerrada a greve da Petroquímica
Encerrada a greve da Petroquímica (Foto: Andréa Rêgo Barros/247)

Raphael Coutinho _PE247 – Após reunião com representantes da construtora Odebrecht e do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Pesada de Pernambuco (Sintepav-PE), os operários que prestam serviço na Petroquímica Suape, no Cabo de Santo Agostinho (Grande Recife), voltaram às atividades nesta quinta-feira (23). A decisão foi tomada após a empreiteira aceitar as reivindicações do sindicato, que era de elevar a participação nos lucros e resultados (PLR) em 150 horas. A paralisação teve início na última sexta-feira (17).

Os cerca de 8,5 mil funcionários passaram quase uma semana em greve, já que havia um acordo para que trabalhassem também durante o Carnaval, em regime de escala. De acordo com o Sintepav-PE, havia distorções nos valores do PLR. A Odebrecht alegava que havia ocorrido um equívoco no pagamento do benefício para os operários da Petroquímica Suape.

Além da correção, a empresa adiantou que pagará, nesta sexta-feira (24), um bônus relacionado ao desempenho para todos os operários da área de produção. O benefício será pago juntamente com o questionado PLR.

Outro ponto acordado entre o Sindicato e a Odebrecht foi o abono dos dias em que os trabalhadores ficaram parados. De acordo com o presidente do Sintepav-PE, Aldo Amaral, todas as pendências foram resolvidas. “Mas não quer dizer que problemas não irão aparecer. Vamos ficar de olho no relacionamento entre a empresa e seus funcionários”, garantiu.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247