Enem: candidato é preso em flagrante com escutas em Fortaleza

Um candidato que fazia as provas do segundo dia do Enem em Fortaleza foi preso em flagrante por uso de escutas neste domingo; a prisão foi feita por policiais federais em uma universidade do centro da capital cearense; segundo a Polícia Federal, o candidato tinha equipamentos eletrônicos presos ao corpo com pontos de escuta nos ouvidos; em depoimento dado na sede da superintendência do órgão em Fortaleza, o candidato se identificou como secretário da saúde de um município do Ceará; ele poderá responder na Justiça Federal pelos crimes contra fé pública, patrimônio e paz pública

Um candidato que fazia as provas do segundo dia do Enem em Fortaleza foi preso em flagrante por uso de escutas neste domingo; a prisão foi feita por policiais federais em uma universidade do centro da capital cearense; segundo a Polícia Federal, o candidato tinha equipamentos eletrônicos presos ao corpo com pontos de escuta nos ouvidos; em depoimento dado na sede da superintendência do órgão em Fortaleza, o candidato se identificou como secretário da saúde de um município do Ceará; ele poderá responder na Justiça Federal pelos crimes contra fé pública, patrimônio e paz pública
Um candidato que fazia as provas do segundo dia do Enem em Fortaleza foi preso em flagrante por uso de escutas neste domingo; a prisão foi feita por policiais federais em uma universidade do centro da capital cearense; segundo a Polícia Federal, o candidato tinha equipamentos eletrônicos presos ao corpo com pontos de escuta nos ouvidos; em depoimento dado na sede da superintendência do órgão em Fortaleza, o candidato se identificou como secretário da saúde de um município do Ceará; ele poderá responder na Justiça Federal pelos crimes contra fé pública, patrimônio e paz pública (Foto: Romulo Faro)

Edwirges Nogueira - repórter da Agência Brasil

Um candidato que fazia as provas do segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em Fortaleza (CE) foi preso em flagrante pelo uso de escutas. A prisão foi feita por policiais federais em uma universidade do centro da capital cearense.

Segundo a Polícia Federal, o candidato tinha equipamentos eletrônicos presos ao corpo com pontos de escuta nos ouvidos. Em depoimento dado na sede da superintendência do órgão em Fortaleza, o candidato se identificou como secretário da saúde de um município do Ceará. Ele poderá responder na Justiça Federal pelos crimes contra a fé pública, o patrimônio e a paz pública.

As investigações que culminaram na prisão do candidato fazem parte da operação Embuste, deflagrada hoje para desarticular organização criminosa que pretendia fraudar o Enem 2016. A PF deflagrou duas operações para reprimir fraudes no exame: a Operação Jogo Limpo, nos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Tocantins, Amapá e Pará e a Operação Embuste, em Minas Gerais. A investigação foi feita com o auxílio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e do Ministério Público Federal.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247