Enfrentar Lula rende dividendos políticos

Atual prefeito do Recife, João da Costa ganhou votos depois que decidiu enfrentar a direção do PT, que quer cassar seu direito à reeleição; em São Paulo, Marta Suplicy vem sendo elogiada por não se curvar às decisões do ex-presidente

Enfrentar Lula rende dividendos políticos
Enfrentar Lula rende dividendos políticos (Foto: Divulgação_Bernardo Soares/Folhapress)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Teria chegado às mãos do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), uma pesquisa com resultados surpreendentes. O atual prefeito do Recife, João da Costa, teria se transformado numa espécie de herói da classe média pernambucana, depois que decidiu enfrentar o poder da direção nacional do PT e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A informação foi publicada na coluna de Ilimar Franco, titular do Panorama Político, do jornal O Globo. Antes disso, o colunista Ricardo Noblat, pernambucano, já havia dito que Recife é uma cidade rebelde, que não gosta que decidam por ela.

Como se sabe, os eternos problemas de articulação política e a desavença com o ex-prefeito João Paulo, impediram a concretização do projeto de reeleição de João da Costa. Sem ele, que não é dos mais próximos a Eduardo Campos, ainda seria mais fácil obter a adesão do PSB para a claudicante candidatura de Fernando Haddad em São Paulo. A estratégia, no entanto, parece não ter saído como o esperado. Nas prévias do PT, João da Costa derrotou o candidato Maurício Rands, que era apoiado por Lula, pela direção do partido e por Campos.

Depois disso, a direção do PT passou a defender um nome de consenso, que seria o do senador Humberto Costa. Rands, derrotado nas primeiras prévias, abriu mão de uma segunda disputa com João da Costa. Ocorre que o prefeito bateu o pé e manteve sua candidatura. Só não será candidato se o PT tomar a decisão de impedi-lo, assumindo o ônus pela medida radical. O problema, na visão de muitos que votam pela esquerda em Recife, é que o suplente de Humberto Costa é o ex-pefelista Joaquim Francisco, que assim chegaria ao Senado. E os que votam pela direita gostaram do gesto de rebeldia de João da Costa.

Rebeldia também em São Paulo

Da mesma forma, a senadora Marta Suplicy passou a ser elogiada por também não se curvar aos desejos do ex-presidente Lula. Ausente no evento de lançamento da candidatura de Fernando Haddad, ela passou a ser chamada de traidora por seguidores mais fiéis ao presidente Lula. Mas, num artigo publicado hoje no Estado de S. Paulo, pela colunista Dora Kramer, a senadora foi elogiada. “No lugar de condenar Marta, o PT talvez devesse rever sujeição cega ao faro de Lula”, disse Dora.

Segundo a colunista, a rebeldia da senadora faz bem ao partido. “Marta age diferente, posiciona-se como um ponto fora da curva ao preservar independência e nesse aspecto talvez preste um grande serviço ao partido.”

O PT tinha chances razoáveis de vencer as eleições em São Paulo e Recife. Com Marta e João da Costa. Agora, o trabalho será bem maior.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247