Ensino médio de Goiás assume liderança do Ideb

Estado obteve nota 3,8 e saltou da 5ª posição em 2011 para o 1º lugar; em 2009, Goiás era o 16º colocado; melhorias no setor coincidem com o terceiro mandato do governador Marconi Perillo (PSDB), candidato à reeleição, que desenvolve o programa Pacto pela Educação, um conjunto de medidas que visa a melhoria dos indicadores educacionais; nos anos finais do ensino fundamental, Goiás ficou na segunda colocação, atrás de Minas Gerais, e superando estados como São Paulo e Rio de Janeiro

Estado obteve nota 3,8 e saltou da 5ª posição em 2011 para o 1º lugar; em 2009, Goiás era o 16º colocado; melhorias no setor coincidem com o terceiro mandato do governador Marconi Perillo (PSDB), candidato à reeleição, que desenvolve o programa Pacto pela Educação, um conjunto de medidas que visa a melhoria dos indicadores educacionais; nos anos finais do ensino fundamental, Goiás ficou na segunda colocação, atrás de Minas Gerais, e superando estados como São Paulo e Rio de Janeiro
Estado obteve nota 3,8 e saltou da 5ª posição em 2011 para o 1º lugar; em 2009, Goiás era o 16º colocado; melhorias no setor coincidem com o terceiro mandato do governador Marconi Perillo (PSDB), candidato à reeleição, que desenvolve o programa Pacto pela Educação, um conjunto de medidas que visa a melhoria dos indicadores educacionais; nos anos finais do ensino fundamental, Goiás ficou na segunda colocação, atrás de Minas Gerais, e superando estados como São Paulo e Rio de Janeiro (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247 - Goiás alcançou o primeiro lugar no ranking nacional do Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (Ideb) no ensino médio, atribuição principal dos estados na educação. A informação é do jornal O Popular, de Goiânia, que obteve com exclusividade partes do relatório a ser divulgado nesta sexta-feira (5) pelo Ministério da Educação. Em 2011, Goiás ocupava a 5ª colocação depois de ter saltado da 16ª posição na avaliação de 2009. As melhorias coincidem com o terceiro mandato do governador Marconi Perillo (PSDB), candidato à reeleição, que desenvolve o programa Pacto pela Educação, um conjunto de medidas que visa a melhoria dos indicadores educacionais no Estado.

Segundo os dados transcritos na publicação goiana, a nota de Goiás na rede pública estadual de ensino médio subiu de 3,6 para 3,8. O primeiro lugar foi alcançado também devido à queda na nota de estados imediatamente à frente, a exemplo de Santa Catarina, que teve o índice reduzido de 4,0 para 3,6. As notas do ensino médio público pioraram em 16 estados e em dois se mantiveram estáveis.

O avanço do estado goiano no Ideb se deveu especialmente à taxa de rendimento, que aufere indicadores como aprovação reprovação e abandono. Nesse quesito, Goiás ficou em primeiro lugar, com o índice 0,88. A nota do Ideb é calculada através da multiplicação da taxa de rendimento pela nota média de proficiência em Língua Portuguesa e Matemática, que em Goiás ficou em 4,33, pequeno recuo em relação a 2011, que foi de 4,37.

Nos primeiros anos do ensino fundamental, em que o governo estadual responde por 30% dos alunos matriculados (a responsabilidade maior é dos municípios), a nota deste último Ideb passou de 5,3 para 6,0, atingindo patamar médio dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A nota 6,0 é a meta estabelecida  pelo Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep) para 2021. A reportagem de O Popular não informa o ranking nacional nos primeiros anos do ensino fundamental, que vai do 1º ao 5º ano.

Nos anos finais do ensino fundamental, a rede estadual pública de Goiás ficou com nota 4,7, o que rendeu asegunda posição, atrás apenas de Minas Gerais. O Estado ganhou as posições antes ocupadas por São Paulo, Acre Mato Grosso e Santa Catarina.

Na rede particular de ensino, a nota do Ideb ficou em 5,5, ante 5,7 em 2011 e 5,8 em 2009. Ainda assim, o Estado ganhou as posições de quatro estados, que tiveram piora na nota. No ensino fundamental, a nota rede privada subiu de 6,6 para 6,7 nos primeiros anos se manteve estável em 5,8 nos anos finais.

Os dados aos quais O Popular teve acesso não revelam as notas obtidas pelas redes municipais goianas no ensino fundamental.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247