Equipe econômica do governo discute a Previdência Complementar

A reunião ocorreu na Residência Oficial e discutiu a adesão do Piauí à Previdência do Nordeste; para o governador Wellington Dias, a política previdenciária do estado trará equilíbrios no futuro; “A previdência complementar é voluntária, depende de aprovação do servidor. Ele pode programar a aposentadoria. O objetivo é garantir lá na frente o equilíbrio”, explicou

A reunião ocorreu na Residência Oficial e discutiu a adesão do Piauí à Previdência do Nordeste; para o governador Wellington Dias, a política previdenciária do estado trará equilíbrios no futuro; “A previdência complementar é voluntária, depende de aprovação do servidor. Ele pode programar a aposentadoria. O objetivo é garantir lá na frente o equilíbrio”, explicou
A reunião ocorreu na Residência Oficial e discutiu a adesão do Piauí à Previdência do Nordeste; para o governador Wellington Dias, a política previdenciária do estado trará equilíbrios no futuro; “A previdência complementar é voluntária, depende de aprovação do servidor. Ele pode programar a aposentadoria. O objetivo é garantir lá na frente o equilíbrio”, explicou (Foto: Voney Malta)

Piauí Hoje - Em reunião na Residência Oficial nesta terça-feira (12), o governador Wellington Dias e equipe de Governo discutiram a adesão do Piauí à Previdência do Nordeste. Estiveram na reunião gestores da Secretarias de Estado do Governo, Fazenda e Planejamento, Procuradoria Geral do Estado e Fundação Piauí Previdência. A adesão do Piauí à PrevNordeste já havia aprovada pela Assembleia Legislativa do Piauí na semana passada. Os novos servidores vão poder aderir à previdência complementar que vai permitir ao Estado reduzir os gastos com o pagamento de benefícios a inativos, como aposentadorias e pensões.

Para o governador Wellington Dias, a política previdenciária aplicada pelo Piauí trará equilíbrios no futuro. “Eu sou grato à Alepi que aprovou as alterações, permitindo ao Piauí, assim como outros estados do nordeste, oferecer ao servidor as condições de uma previdência complementar. Ela é voluntária e depende de aprovação do servidor. Do outro lado, ele pode programar a aposentadoria. O objetivo é garantir lá na frente o equilíbrio da previdência do servidor público estadual”, explicou.

Após seguir os protocolos de convênio, o Estado aguarda agora o termo de adesão por parte da PrevNordeste, que será assinado pelo governador e secretários. Em seguida, o documento vai ser encaminhado à Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), órgão vinculado ao Ministério da Fazenda que dita as normativas para as providências complementares.

O presidente da Fundação Piauí Previdência, Marcos Steiner Mesquisa, acredita a previdência complementar deve estar pronta até o mês de julho. “Somente a partir daí, os servidores que ingressarem por concurso público nos órgãos do Estado serão submetidos à nova regra da previdência complementar. Os atuais servidores permanecem na mesma regras, não são atingidos pela previdência complementar”, ressaltou Marcos Steiner.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247