Estado entrega 143 mil alevinos

O governo de Alagoas, através da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, distribuiu 143,6 mil alevinos de tilápia, oriundos das estações de piscicultura de Rio Largo e Xingó; o programa possui 17 módulos de tanques-rede distribuídos por todas as regiões do Estado, atendendo a 20 famílias cada um

O governo de Alagoas, através da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, distribuiu 143,6 mil alevinos de tilápia, oriundos das estações de piscicultura de Rio Largo e Xingó; o programa possui 17 módulos de tanques-rede distribuídos por todas as regiões do Estado, atendendo a 20 famílias cada um
O governo de Alagoas, através da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, distribuiu 143,6 mil alevinos de tilápia, oriundos das estações de piscicultura de Rio Largo e Xingó; o programa possui 17 módulos de tanques-rede distribuídos por todas as regiões do Estado, atendendo a 20 famílias cada um (Foto: Voney Malta)

Por Ronaldo Lima, Agência Alagoas - A Superintendência de Aquicultura da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, divulgou, nesta segunda-feira (7), o relatório referente à distribuição de alevinos durante o mês de outubro. Os números revelam que o Governo de Alagoas fez a entrega de 143,6 mil alevinos de tilápia, oriundos das estações de piscicultura de Rio Largo e Xingó.

A ação, coordenada pela Seagri, beneficia diretamente 130 famílias de agricultores/aquicultores dos municípios de Coruripe, Novo Lino, Messias, Limoeiro de Anadia, Campo Alegre, Teotonio Vilela, Piranhas, Penedo, Capela, Porto de Pedras, Boca da Mata, Flexeiras, entre outros.

Como assegura o secretário de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Álvaro Vasconcelos, o Programa de Distribuição de Alevinos executado pelo Governo do Estado significa garantia de alimento, emprego e alternativa de renda para famílias de trabalhadores rurais alagoanos.

Atualmente, o programa possui 17 módulos de tanques-rede distribuídos por todas as regiões do Estado, atendendo a 20 famílias cada um.

Segundo Manoel Sampaio, da Superintendência de Aquicultura da Seagri, os tanques-rede são geridos por associações comunitárias, cuja direção foi capacitada para administrar seu funcionamento e para manejar o pescado.

Atualmente, a comercialização do pescado é realizada em feiras livres, Feira do Peixe Vivo, em Maceió, no comércio local dos municípios que têm instalados os módulos e, ainda, nas próprias comunidades, onde os consumidores se dirigem até os produtores.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247