Estados Unidos podem sofrer surtos locais de Zika vírus, diz autoridade

Os Estados Unidos devem sofrer surtos do Zika vírus, com provavelmente algumas dezenas de pessoas afetadas, disse o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, Anthony Fauci, neste domingo; foram contabilizados mais de 350 casos de pessoas que foram infectadas no exterior e depois voltaram ao país, mas ainda não registraram nenhum caso de alguém infectado dentro das fronteiras do país. Isso agora deve mudar, segundo Fauci; "É provável que tenhamos o que se considera um surto local", disse Fauci no programa Fox News Sunday

Estados Unidos podem sofrer surtos locais de Zika vírus, diz autoridade
Estados Unidos podem sofrer surtos locais de Zika vírus, diz autoridade
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos devem sofrer surtos do Zika vírus, com provavelmente algumas dezenas de pessoas afetadas, disse o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, Anthony Fauci, neste domingo.

Os Estados Unidos já contabilizaram mais de 350 casos de pessoas que foram infectadas no exterior e depois voltaram ao país, mas ainda não registraram nenhum caso de alguém infectado dentro das fronteiras do país. Isso agora deve mudar, segundo Fauci.

"É provável que tenhamos o que se considera um surto local", disse Fauci no programa Fox News Sunday.

O atual surto de Zika foi detectado pela primeira vez no Brasil no ano passado e tem se espalhado pelas Américas. Cientistas investigam a relação do vírus com casos de microcefalia, uma má-formação cerebral geralmente rara. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou estado global de emergência em fevereiro.

O Zika, que é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti e também através do sexo, pode ainda transmitir aos adultos a síndrome paralisante de Guillain-Barré. O mosquito Aedes, principal transmissor da doença, está presente em cerca de 30 estados norte-americanos.

Fauci afirmou que a expectativa é de que pessoas sejam picadas pelo mosquito e sejam infectadas pelo Zika, mas o número de doentes não deve ser grande. "Não será mesmo surpreendente -se improvável- que nós vejamos um pouco disso aqui", disse. "Estamos falando de vinte casos, dezenas de casos, no máximo."

Ele também levantou a possibilidade de outras doenças neurológicas serem eventualmente relacionadas ao Zika, o que considera "perturbador".

"Existem apenas relatos de casos individuais de dano neurológico significativo a pessoas, não apenas fetos mas um adulto que poderia ser infectado. Como a meningoencefalite, que é uma inflamação do cérebro e da cobertura ao redor do cérebro, danos na medula espinhal, devido ao que chamamos de mielite", disse. "Até agora são casos incomuns, mas ao menos nós já o vimos e é isso que é preocupante".

Fauci também pediu a aprovação de um projeto do governo que disponibilizaria 1,9 bilhão de dólares em fundos de emergência para combater o vírus. Alguns republicanos já apoiam. "Temos que agir agora", disse. "Eu mal posso esperar para começar a desenvolver uma vacina".

Ainda assim, Fauci evitou recomendar mulheres norte-americanas a não engravidarem devido ao medo de dar luz a um bebê com microcefalia. "Nesse momento nos Estados Unidos elas (mulheres) não precisam se preocupar tanto. Não temos surtos locais", concluiu.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247