'Estamos avançando muito no combate ao racismo'

O prefeito ACM Neto e a ministra de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes, assinaram nesta terça-feira o termo de adesão de Salvador ao Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial; O objetivo é integrar todos os entes federados para fomentar políticas públicas que valorizem a diversidade e promoção social; "Estamos avançando muito nessa área desde 2013, com ações relevantes e já implementadas. Posso destacar ainda o Selo da Diversidade Étnico-Racial, que premia as empresas que adotam ações de combate ao racismo, e o Observatório da Discriminação Racial, LGBT e Violência Contra Mulher", disse ACM Neto

O prefeito ACM Neto e a ministra de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes, assinaram nesta terça-feira o termo de adesão de Salvador ao Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial; O objetivo é integrar todos os entes federados para fomentar políticas públicas que valorizem a diversidade e promoção social; "Estamos avançando muito nessa área desde 2013, com ações relevantes e já implementadas. Posso destacar ainda o Selo da Diversidade Étnico-Racial, que premia as empresas que adotam ações de combate ao racismo, e o Observatório da Discriminação Racial, LGBT e Violência Contra Mulher", disse ACM Neto
O prefeito ACM Neto e a ministra de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes, assinaram nesta terça-feira o termo de adesão de Salvador ao Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial; O objetivo é integrar todos os entes federados para fomentar políticas públicas que valorizem a diversidade e promoção social; "Estamos avançando muito nessa área desde 2013, com ações relevantes e já implementadas. Posso destacar ainda o Selo da Diversidade Étnico-Racial, que premia as empresas que adotam ações de combate ao racismo, e o Observatório da Discriminação Racial, LGBT e Violência Contra Mulher", disse ACM Neto (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - O prefeito ACM Neto (DEM) e a ministra de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Nilma Lino Gomes, assinaram na tarde desta terça-feira (22), em solenidade no Palácio Thomé de Souza, o termo de adesão de Salvador ao Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial. O objetivo é integrar todos os entes federados para fomentar políticas públicas que valorizem a diversidade e promoção social, adotando medidas a exemplo do que a Prefeitura de Salvador já tem feito, como o Programa de Combate ao Racismo Institucional, as cotas nos concursos públicos e os incentivos tributários às religiões de matrizes africanas.

"Essa é uma causa nacional, que supera barreiras partidárias ou ideológicas. Enfrentar o racismo e lutar pela igualdade é trabalhar pelo desenvolvimento do país", afirmou a ministra, ao lado de colaboradores da pasta federal, do presidente do Conselho Municipal da Comunidade Negra, Eurico Alcântara, da vice-prefeita Célia Sacramento, da secretária de Reparação de Salvador, Ivete Sacramento, vereadores, dirigentes de órgãos e outras autoridades.

"Hoje o combate ao racismo e à intolerância é uma política da atual gestão municipal. Trabalhamos para que Salvador seja livre do racismo e da discriminação. Faz parte de nossas metas administrativas", disse Ivete Sacramento, cujo trabalho e história foram exaltados por Nilda Lino Gomes e outros representantes da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

O prefeito ACM Neto aproveitou a solenidade para fazer um balanço das ações da atual gestão no enfrentamento ao racismo e nas políticas de reparação e promoção da igualdade. Ele destacou a política de cotas para afrodescendentes nos concursos públicos municipais, já adotada na seleção para auditor fiscal e o Programa de Combate ao Racismo Institucional, que deverá concorrer, inclusive, a prêmios nacionais como modelo de gestão.

"Estamos avançando muito nessa área desde 2013, com ações relevantes e já implementadas. Posso destacar ainda o Selo da Diversidade Étnico-Racial, que premia as empresas que adotam ações de combate ao racismo, e o Observatório da Discriminação Racial, LGBT e Violência Contra Mulher", afirmou o democrata.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247