Estudantes decidem manter ocupação de escolas em São Paulo

Os estudantes pedem que a suspensão seja oficializada pelo governo paulista, por meio de decreto ou documento que garanta que o projeto atual não seja implementado; apesar da decisão, os estudantes consideraram o pronunciamento de Geraldo Alckmin e a saída do secretário da Educação vitórias do movimento

04/12/2015- São Paulo- SP- Brasil- O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta sexta-feira (4) o adiamento da reorganização escolar. A coletiva foi realizada no Palácio dos Bandeirantes.
04/12/2015- São Paulo- SP- Brasil- O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta sexta-feira (4) o adiamento da reorganização escolar. A coletiva foi realizada no Palácio dos Bandeirantes. (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

A assembleia de estudantes paulistas, ocorrida na noite de hoje (4) na Escola Estadual Caetano de Campos, decidiu pela manutenção das escolas ocupadas. Cerca de 100 estudantes de mais de 40 ocupações reuniram-se na escola localizada no bairro da Aclimação, região central da capital paulista, para discutir os encaminhamentos após a suspensão da reorganização escolar pelo governador Geraldo Alckmin.

Os estudantes pedem que a suspensão seja oficializada pelo governo, por meio de decreto ou documento que garanta que o projeto atual não seja implementado. Apesar da decisão, os estudantes consideraram o pronunciamento de Alckmin e a saída do secretário da Educação vitórias do movimento.

A presidenta da União Paulista dos Estudantes Secundaristas (Upes), Angela Meyer, disse que o clima é de comemoração. "Conseguimos fazer com que o Alckmin desse uma resposta para o movimento estudantil". Entretanto, ela diz que "a luta não está vencida". Segundo Angela, não há nenhum documento que diga que não haverá a reorganização em seu modelo atual em 2016.

A reorganização escolar proposta pelo governo de São Paulo, que seria implantada em 2016 e levaria ao fechamento de 93 escolas, foi suspensa para que seja aberto diálogo com a comunidade escolar no próximo ano. “Nossa decisão é adiar a reorganização e rediscuti-la escola por escola, com a comunidade, com os estudantes e, em especial, com os pais dos alunos”, disse Alckmin em entrevista coletiva hoje. Os estudantes permanecerão estudando nas escolas onde estão matriculados.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247