Estudantes ocupam Reitoria da UFCSPA

Pelo menos 50 estudantes ocuparam a Reitoria da Universidade Federal das Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), em protesto contra a possível demolição do Espaço de Convivência da instituição; os universitários descobriram por uma postagem na página do Facebook “Transparência e Democracia na UFCSPA” que no dia 1º de setembro foi licitada a compra de um serviço que irá reduzir o Espaço, gerido pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), reduzindo-o a apenas um terço do que é atualmente

Pelo menos 50 estudantes ocuparam a Reitoria da Universidade Federal das Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), em protesto contra a possível demolição do Espaço de Convivência da instituição; os universitários descobriram por uma postagem na página do Facebook “Transparência e Democracia na UFCSPA” que no dia 1º de setembro foi licitada a compra de um serviço que irá reduzir o Espaço, gerido pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), reduzindo-o a apenas um terço do que é atualmente
Pelo menos 50 estudantes ocuparam a Reitoria da Universidade Federal das Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), em protesto contra a possível demolição do Espaço de Convivência da instituição; os universitários descobriram por uma postagem na página do Facebook “Transparência e Democracia na UFCSPA” que no dia 1º de setembro foi licitada a compra de um serviço que irá reduzir o Espaço, gerido pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), reduzindo-o a apenas um terço do que é atualmente (Foto: Leonardo Lucena)

Débora Fogliatto, Sul 21 - Pelo menos 50 estudantes ocuparam, na tarde desta quinta-feira (13), a Reitoria da Universidade Federal das Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), em protesto contra a possível demolição do Espaço de Convivência da instituição. Os universitários descobriram por uma postagem na página do Facebook “Transparência e Democracia na UFCSPA” que no dia 1º de setembro foi licitada a compra de um serviço que irá reduzir o Espaço, gerido pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), reduzindo-o a apenas um terço do que é atualmente.

Segundo os estudantes, o espaço é usado principalmente para o almoço, visto que não há restaurante universitário (RU) na universidade, e o Espaço conta com três microondas que são utilizados para aquecer as refeições dos que levam de casa. A sala, de cerca de 30m², conta ainda com vários sofás, pebolins e duas mesas de sinuca, e é um dos poucos locais de descanso na instituição e de confraternização entre os alunos. A redução do espaço seria necessária para a construção de novas vagas de estacionamento no local.

A ocupação aconteceu durante uma reunião do Conselho Universitário, em que os estudantes conseguiram forçar aberta uma grade que dá acesso à parte do corredor onde fica o Consun e a Reitoria. “Tinha dois seguranças que fechavam a grade a cada pessoa que passava. Eu passei e eles fecharam atrás de mim, minha colega quando foi passar outro aluno passou uma corrente entre a grade, e daí ficou um pouco aberta. Então ele forçou um pouco e colocou o joelho, mas os seguranças forçaram a porta contra o joelho dele”, conta o coordenador-geral do DCE, Henrique Britto Agliarde, estudante de Medicina. Foi apenas quando mais estudantes chegaram e forçaram a porta que conseguiram abrir a grade, mas o jovem ficou com o joelho machucado e chegou a fazer exame de corpo de delito após a situação.

Uma vez dentro da Reitoria, os ânimos se acalmaram, segundo Henrique, que relata que os estudantes então conversaram com os seguranças e explicaram que o movimento é pacífico e político. Um dos microondas do Espaço de Convivência foi transportado para o local, assim como algumas garrafas de água e bolachas. Estudantes também confeccionavam cartazes, conversavam e levavam colchões para passar a noite. Além da redução do Espaço, o DCE também reclama da falta de diálogo com a Reitoria em termos gerais, incluindo a própria falta de RU no local, apesar de já haver encaminhamentos para que ele seja construído em um prédio já adquirido.

O movimento foi inspirado em uma ocupação anterior, que aconteceu em 2010 e acarretou na criação do DCE da universidade. Na época, havia um Centro Acadêmico do curso de Medicina e uma situação parecida ocorreu: os estudantes foram informados de última hora que teriam que sair do espaço que era utilizado pelo CA, e em resposta ocuparam a Reitoria. A ideia é que, com a ocupação, haja a conquista de alguma alternativa também nesse momento.

Havia sido acordado que o Diretório teria um espaço próprio no Prédio 3, mas provisoriamente ficaram instalados no Prédio 2, onde é até hoje. “Algum tempo depois, a Reitoria disse que já que a gente já estava utilizando e já havia os sofás e a estrutura, esse espaço passaria a ser oficialmente nosso, e não mais no Prédio 3. A partir daí, não foi construído mesmo essa sala no 3. Então o que vai acontecer é que vai virar 1/3 do tamanho, fica inviável da quantidade de gente que almoça lá continuarem fazendo isso”, explica Henrique, destacando que os estudantes e até o Consun não foram consultados sobre essa demolição.

Os estudantes afirmam que estão dispostos a permanecer pelo tempo que for necessário no local. O Sul21 entrou em contato com a UFCSPA, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

Confira o vídeo do momento em que estudantes forçam a abertura do portão:

Confira a íntegra do manifesto dos estudantes aprovado em Assembleia Geral:

“Direitos não se negociam!
Abaixo a redução do Espaço de Convivência e dos espaços organizativos estudantis!

A reitoria da UFCSPA tem atuado silenciosamente para reduzir o Espaço de Convivência conquistado através das lutas estudantis de 2010 após apenas dois anos de utilização. O espaço que já contava com estrutura precarizada, como ausência de encanamentos, atualmente já não dá conta da população de estudantes, técnicos-administrativos e terceirizados que o utilizam para tentar contornar a ausência de estruturas fundamentais em uma universidade federal, como o restaurante universitário. Adjacente ao espaço de convivência estão dois pequenos depósitos, também insuficientes para os diversos materiais necessários para o desenvolvimento das atividades das Atléticas Desportivas, e uma sala de reuniões com armários para armazenamento dos materiais dos diversos centros acadêmicos que estão organizados na UFCSPA.

A alteração na configuração espacial do Espaço de Convivência e dos espaços organizativos estudantis disponíveis para quase dois mil estudantes e sua subsequente redução de área surge para a criação de uma rampa de estacionamento e o aumento de uma dúzia de vagas de carro para professores. Afirmamos que a redução dos espaços citados fere os valores institucionais acordadas pela própria reitoria em Consun, como Responsabilidade Social e Ambiental, Valorização das Pessoas, Credibilidade enquanto Instituição e Transparência nas Ações.

A criação de novos cursos e o aumento previsto da população universitária na UFCSPA são alguns dos argumentos que demonstram que a redução do Espaço de Convivência e dos espaços organizativos estudantis, que já se mostram insuficientes para a atual demanda, é uma ação que vai na contramão das necessidades da Comunidade Acadêmica. É necessário, na realidade, um aumento desses espaços para possibilitar a integração dos diversos cursos presentes da universidade que, apesar de apresentar muitos elementos comuns em seus currículos, estão segregados por uma grade curricular inflexível, assim como propiciar a auto-organização dos estudantes nas dimensões culturais, científicas e sociais.

O movimento estudantil da UFCSPA convoca a comunidade acadêmica para lutar contra a redução do espaço de convivência e dos espaços organizativos estudantis! Direitos não se negociam!”

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247