Eunício admite crise grave, mas diz que Congresso vai trabalhar naturalmente

Mesmo em meio ao cenário turbulento que toma conta de Brasília, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), disse que o Congresso Nacional vai trabalhar naturalmente na discussão das propostas. "Nós temos uma pauta de interesse do Brasil, feita pelo presidente da Casa e pelos líderes partidários. Então, eu vou tocar a pauta do Plenário com muita naturalidade", defendeu. Em entrevista concedida nesta terça (23), o senador afirmou também que a reforma Trabalhista ainda será debatida e admitiu que a situação do País é grave

Mesmo em meio ao cenário turbulento que toma conta de Brasília, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), disse que o Congresso Nacional vai trabalhar naturalmente na discussão das propostas. "Nós temos uma pauta de interesse do Brasil, feita pelo presidente da Casa e pelos líderes partidários. Então, eu vou tocar a pauta do Plenário com muita naturalidade", defendeu. Em entrevista concedida nesta terça (23), o senador afirmou também que a reforma Trabalhista ainda será debatida e admitiu que a situação do País é grave
Mesmo em meio ao cenário turbulento que toma conta de Brasília, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), disse que o Congresso Nacional vai trabalhar naturalmente na discussão das propostas. "Nós temos uma pauta de interesse do Brasil, feita pelo presidente da Casa e pelos líderes partidários. Então, eu vou tocar a pauta do Plenário com muita naturalidade", defendeu. Em entrevista concedida nesta terça (23), o senador afirmou também que a reforma Trabalhista ainda será debatida e admitiu que a situação do País é grave (Foto: Rodrigo Rocha)

Agência Senado - Nesta terça feira (23), o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), concedeu entrevista, afirmando que o Congresso Nacional vai trabalhar naturalmente na discussão das propostas legislativas e que “não há uma pauta específica do Governo”.

“Nós temos uma pauta de interesse do Brasil, feita pelo presidente da Casa e pelos líderes partidários. Então, eu vou tocar a pauta do Plenário com muita naturalidade”, defendeu Eunício.

O presidente do Senado lembrou que tanto a Comissão de Assuntos Sociais, que discute a Reforma Trabalhista, quanto as demais estão em pleno funcionamento com debates importantes para garantir a aprovação das reformas legislativas.

“No parlamento não existe dia ou hora certa para aprovar cada matéria. Muitas vezes acreditamos existir acordo na discussão de determinada proposição e ela acaba sendo debatida por duas ou três horas no Plenário do Senado. O oposto também acontece. Resumindo, é imprevisível. Então não há que se falar em derrota ou vitória”, explicou Eunício. “Não há nada mais natural que os debates que estão acontecendo nas comissões”.

Questionado sobre o andamento da Reforma Trabalhista nas Comissões, Eunício explicou que a matéria trata de um assunto muito importante e que merece ser amplamente discutido.

“Esse projeto chegou aqui há poucos dias e precisa ser debatida. É natural que as pessoas queiram saber dos debates sobre esse tema e sobre tudo o que acontece no Senado, que é a casa mais transparente do Brasil. Normalidade é tom que devemos dar a vocês”, ponderou Eunício.

Segundo o presidente do Senado, o Brasil não pode parar. “Nós temos que aprovar as leis que o país precisa e, se depender do presidente do Senado e do Congresso, nós vamos ter a normalidade absoluta. Nós estamos com a pauta trancada porque chegaram três medidas provisórias, Eu tenho um entendimento com os líderes de só votar as MP após duas sessões da sua leitura, tem uma dessas que está para ser votada. Temos ainda a Proposta de Emenda à Constituição do Foro Privilegiado, na qual firmei o compromisso de devolver para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) caso haja até duas emendas de redação, mas se a matéria for indeferida e houver recurso, vou ser obrigado a encaminhar para essa comissão”, disse.

Questionado ainda sobre os últimos desdobramentos da Operação Lava-Jato, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, reconheceu haver grave crise no país sobre todos os aspectos e defendeu a retomada do crescimento econômico brasileiro. “Nós precisamos que o Brasil volte a gerar empregos e renda, para isso precisamos que a confiança do mercado volte para o Brasil. Nós devemos ter discernimento para superar as crises”, recomendou Eunício.

Os jornalistas perguntaram ainda sobre o futuro do senador Aécio Neves (PSDB-MG). “Eu sempre acatei e encaminhei as respostas à Justiça. Eu sempre defendi, desde o dia que assumi a Presidência do Senado, que isso fosse feito. Eu recebi um comunicado sobre a situação do senador Aécio Neves e nós iremos dar o devido encaminhamento”, finalizou Eunício.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247