Eunício já defende debate amplo e 'sem pressa' sobre reforma trabalhista

O senador Eunício Oliveira mudou de discuso e já defende um amplo debate sobre a reforma trabalhista. Hoje, ele afirmou que com o funcionamento do Congresso até 13 de julho, não há tanta pressa para aprovar o projeto. "Por que não permitir que a oposição disponha, dispute, reclame, faça o papel da própria oposição? Esta aqui é a Casa da democracia, não podemos ter este açodamento" 

Senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) faz balanço de suas atividades no ano
Senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) faz balanço de suas atividades no ano (Foto: Fatima 247)

Ceará 247 - Diferente do que disse há alguns dias atrás, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, defendeu, nesta quarta-feira (7), um debate amplo e "sem pressa" sobre a reforma trabalhista (PLC 38/2017).

Em meados maio, o senador havia dito que o plenário da Casa deveria votar a reforma trabalhista, “no mais tardar”, até a segunda semana de junho e que a reforma não prejudicaria o trabalhador. “É uma reforma que não prejudica o trabalhador, pelo contrário, regula e atualiza uma legislação que é de 1940. Ela adequa relações trabalhistas, não retira direitos [...]. Portanto, dentro do cronograma, entendo eu que, até mais tardar na primeira semana, se a pauta não ficar trancada aqui, no mais tardar, na primeira, segunda semana de junho, nós estaremos com essa matéria aprovada”, projetou Eunício.

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou na terça-feira (6) o relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES). O texto será discutido e votado agora pelas comissões de Assuntos Sociais (CAS) e de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

— Nós devemos ter um pouco de paciência. O Congresso vai funcionar pelo menos até o dia 13 de julho. Nós temos até o dia 13 de julho para votar esta matéria. Para que a pressa? Por que não permitir que a oposição disponha, dispute, reclame, faça o papel da própria oposição? Esta aqui é a Casa da democracia, não podemos ter este açodamento — afirmou Eunício.

Quando questionado sobre a possibilidade de apresentação de um requerimento de urgência para a votação da reforma trabalhista, dessa vez, Eunício também mudou o discuso. "Não tenho compromisso com o governo. Tenho compromisso comigo mesmo. Eu acho que nós devemos valorizar as comissões. Se tiver algum requerimento de urgência, eu vou pedir paciência para que nós votemos esta matéria pelo menos na outra comissão de mérito para trazer para o Plenário — informou.

Anteriormente, o senador havia dito que após a aprovação em pelo menos uma comissão, teria condições de aceitar um requerimento de urgência e obviamente colocar em votação. O plenário será soberano em colocar essa matéria em regime de urgência direto ou se volta para as três comissões, como determinei", disse Oliveira.

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247