Ex-diretor da Delta responderá a ação penal no Tocantins

Carlos Roberto Duque Pacheco é acusado pelo MPF-TO de uso de documentos falsos na obtenção de habilitação da empresa para participar de licitações de limpeza urbana em cidades de todo o país; pedido de prisão preventiva foi negado

Ex-diretor da Delta responderá a ação penal no Tocantins
Ex-diretor da Delta responderá a ação penal no Tocantins (Foto: Sergio Lima/Folhapress)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - A Justiça Federal em Tocantins aceitou denúncia contra o ex-diretor da construtora Delta, Carlos Roberto Duque Pacheco. A informação foi divulgada nesta segunda-feira 28 pelo Ministério Público Federal em Tocantins (MPF-TO), autor da denúncia. O titular da 2ª Vara da Justiça Federal negou, no entanto, o pedido de prisão preventiva, alegando que Pacheco não deu sinais de que pretende fugir.

O MPF-TO ofereceu denúncia contra o ex-diretor da Delta no dia 2 de abril por uso de documentos falsos na obtenção de documento que habilitava a empresa a participar de licitações de limpeza urbana em municípios de médio e grande porte em todo o país.

Segundo investigações preliminares, os documentos falsos permitiram que a empresa vencesse licitações nos municípios de Anápolis e Catalão, em Goiás; Itanhaém, em São Paulo; e em Palmas, capital do Tocantins.

O MPF-TO pede a condenação de Pacheco por uso de documento falso e falsidade ideológica. Apesar de responder ao processo em liberdade, o ex-diretor da Delta terá que seguir algumas restrições, como a proibição de deixar o país e a exigência de comparecer pessoalmente às audiências na Justiça.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247