Ex-prefeito de Rio Largo é considerado foragido da justiça

O ex-prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, município da Grande Maceió, é considerado foragido da justiça após policiais civis tentarem - sem sucesso - cumprir o mandado de prisão expedido pelo justiça alagoana; ele foi condenado a 16 anos e dois meses por apropriação de bens públicos, falsificação de documentos, fraude em licitações, entre outros crimes; a pena, que também inclui o pagamento de multas, foi imposta pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas em setembro de 2016

O ex-prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, município da Grande Maceió, é considerado foragido da justiça após policiais civis tentarem - sem sucesso - cumprir o mandado de prisão expedido pelo justiça alagoana; ele foi condenado a 16 anos e dois meses por apropriação de bens públicos, falsificação de documentos, fraude em licitações, entre outros crimes; a pena, que também inclui o pagamento de multas, foi imposta pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas em setembro de 2016
O ex-prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, município da Grande Maceió, é considerado foragido da justiça após policiais civis tentarem - sem sucesso - cumprir o mandado de prisão expedido pelo justiça alagoana; ele foi condenado a 16 anos e dois meses por apropriação de bens públicos, falsificação de documentos, fraude em licitações, entre outros crimes; a pena, que também inclui o pagamento de multas, foi imposta pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas em setembro de 2016 (Foto: Voney Malta)

Por Rafael Maynart/Gazetaweb - O ex-prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, é considerado foragido da justiça após policiais civis tentarem - sem sucesso - cumprir o mandado de prisão expedido pelo juiz Maurílio da Silva Ferraz nesta quarta-feira (28). Ele foi condenado a 16 anos e dois meses por apropriação de bens públicos, falsificação de documentos, fraude em licitações, entre outros crimes. A pena, que também inclui o pagamento de multas, foi imposta pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas em setembro de 2016.

De acordo com o procurador-Geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça, desde 2012 o Grupo Estadual de Combate a Organizações Criminosas (Gecoc) vem trabalhando para coibir ações delituosas em Rio Largo, entre elas atos de improbidade realizadas pelo ex-prefeito.

"O ex-gestor é apontado como mandante e executor de diversos crimes em Rio Largo. Em 2016 ele foi condenado, mas aguardava em liberdade o julgamento do agravo. O Ministério Público Estadual requereu o cumprimento do acórdão condenatório. Além dessa condenação, Ele ainda tem mais de 5 ações penais aguardando julgamento", explicou Alfredo Gaspar, em entrevista ao ALTV 2ª edição.

A assessoria da Polícia Civil esclareceu que uma equipe está tentando dar cumprimento ao mandado

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247