Ex-prefeito de Rio Largo é considerado foragido da justiça

O ex-prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, município da Grande Maceió, é considerado foragido da justiça após policiais civis tentarem - sem sucesso - cumprir o mandado de prisão expedido pelo justiça alagoana; ele foi condenado a 16 anos e dois meses por apropriação de bens públicos, falsificação de documentos, fraude em licitações, entre outros crimes; a pena, que também inclui o pagamento de multas, foi imposta pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas em setembro de 2016

O ex-prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, município da Grande Maceió, é considerado foragido da justiça após policiais civis tentarem - sem sucesso - cumprir o mandado de prisão expedido pelo justiça alagoana; ele foi condenado a 16 anos e dois meses por apropriação de bens públicos, falsificação de documentos, fraude em licitações, entre outros crimes; a pena, que também inclui o pagamento de multas, foi imposta pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas em setembro de 2016
O ex-prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, município da Grande Maceió, é considerado foragido da justiça após policiais civis tentarem - sem sucesso - cumprir o mandado de prisão expedido pelo justiça alagoana; ele foi condenado a 16 anos e dois meses por apropriação de bens públicos, falsificação de documentos, fraude em licitações, entre outros crimes; a pena, que também inclui o pagamento de multas, foi imposta pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas em setembro de 2016 (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Rafael Maynart/Gazetaweb - O ex-prefeito de Rio Largo, Toninho Lins, é considerado foragido da justiça após policiais civis tentarem - sem sucesso - cumprir o mandado de prisão expedido pelo juiz Maurílio da Silva Ferraz nesta quarta-feira (28). Ele foi condenado a 16 anos e dois meses por apropriação de bens públicos, falsificação de documentos, fraude em licitações, entre outros crimes. A pena, que também inclui o pagamento de multas, foi imposta pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas em setembro de 2016.

De acordo com o procurador-Geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça, desde 2012 o Grupo Estadual de Combate a Organizações Criminosas (Gecoc) vem trabalhando para coibir ações delituosas em Rio Largo, entre elas atos de improbidade realizadas pelo ex-prefeito.

"O ex-gestor é apontado como mandante e executor de diversos crimes em Rio Largo. Em 2016 ele foi condenado, mas aguardava em liberdade o julgamento do agravo. O Ministério Público Estadual requereu o cumprimento do acórdão condenatório. Além dessa condenação, Ele ainda tem mais de 5 ações penais aguardando julgamento", explicou Alfredo Gaspar, em entrevista ao ALTV 2ª edição.

A assessoria da Polícia Civil esclareceu que uma equipe está tentando dar cumprimento ao mandado

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247