Ex-prefeito de Salvador tem 4 contas rejeitadas

Pior prefeito da história da capital baiana, João Henrique de Barradas Carneiro (PSL) teve sua quarta prestação de contas rejeitada consecutivamente pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM); desta vez foi o exercício de 2012; em oito anos de mandato (dois consecutivos), o ex-prefeito teve duas prestações de contas aprovadas, duas aprovadas com ressalva e as quatro do segundo mandato rejeitadas pela corte de contas

Pior prefeito da história da capital baiana, João Henrique de Barradas Carneiro (PSL) teve sua quarta prestação de contas rejeitada consecutivamente pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM); desta vez foi o exercício de 2012; em oito anos de mandato (dois consecutivos), o ex-prefeito teve duas prestações de contas aprovadas, duas aprovadas com ressalva e as quatro do segundo mandato rejeitadas pela corte de contas
Pior prefeito da história da capital baiana, João Henrique de Barradas Carneiro (PSL) teve sua quarta prestação de contas rejeitada consecutivamente pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM); desta vez foi o exercício de 2012; em oito anos de mandato (dois consecutivos), o ex-prefeito teve duas prestações de contas aprovadas, duas aprovadas com ressalva e as quatro do segundo mandato rejeitadas pela corte de contas (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - João Henrique Barradas Carneiro (PSL) cravou seu nome de uma vez por todas na história da primeira capital do Brasil. Pior prefeito da história de Salvador, conforme avaliação popular, João teve nesta quinta-feira (12) sua quarta prestação de contas rejeitada consecutivamente pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Desta vez foi o exercício de 2012.

Em oito anos de mandato (dois consecutivos), o ex-prefeito teve duas prestações de contas aprovadas, duas aprovadas com ressalva e as quatro do segundo mandato rejeitadas pela corte de contas.

O relator do processo, conselheiro Raimundo Moreira pediu que a reprovação seja enviada ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) para "adoção das medidas cabíveis", e multou João em mais R$ 38 mil.

O TCM determinou ainda que o ex-prefeito devolva R$ 568 mil aos cofres públicos, dos quais, R$ 507 mil foram gastos irregulares com publicidade e quase R$ 30 mil de pagamentos indevidos para as secretarias.

Segundo o relatório do TCM, João arrecadou mais do que gastou em 2012, o que deu uma sobra de R$ 55 milhões. Contudo, as dívidas deixadas pela administração em anos anteriores fizeram o dinheiro desaparecer, deixando a conta vermelha em R$ 481 milhões. Houve ainda contratos sem licitação que totalizam quase R$ 69 milhões.

João Henrique já teve as prestações de 2009, 2010 e 2011 reprovadas pela corte de contas e com parecer de todas elas mantido pela Câmara Municipal em votações no plenário. O ex-prefeito inclusive estreou a modalidade do voto aberto no parlamento soteropolitano e também foi derrotado. As contas de 2011 foram votadas em 30 de setembro e o placar foi de 32 votos a 10 contra João.

Apesar de ser considerado quatro vezes inelegível, o ex-prefeito garante que disputará as eleições de 2014. Ele deve se candidatar a deputado federal ou a senador.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247