Ex-secretário da Conmebol se entrega à polícia argentina

José Luis Meiszner é um dos diversos dirigentes indiciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos sob acusação de terem recebido propinas de milhões de dólares em negociações para vendas de direitos de transmissão de torneios de futebol na América Latina

José Luis Meiszner é um dos diversos dirigentes indiciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos sob acusação de terem recebido propinas de milhões de dólares em negociações para vendas de direitos de transmissão de torneios de futebol na América Latina
José Luis Meiszner é um dos diversos dirigentes indiciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos sob acusação de terem recebido propinas de milhões de dólares em negociações para vendas de direitos de transmissão de torneios de futebol na América Latina (Foto: Luis Mauro Queiroz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BUENOS AIRES (Reuters) - O argentino José Luis Meiszner, ex-secretário-geral da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) acusado de corrupção pela Justiça dos Estados Unidos, se entregou às autoridades locais nesta quarta-feira nos arredores de Buenos Aires, de acordo com a mídia.

As emissoras de televisão TN e Canal 7 mostraram imagens da detenção do ex-dirigente em Quilmes, subúrbio da capital onde fica a sede de um clube de futebol com o mesmo nome.

Meiszner é um dos diversos dirigentes indiciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos sob acusação de terem recebido propinas de milhões de dólares em negociações para vendas de direitos de transmissão de torneios de futebol na América Latina.

O ex-presidente da CBF José Maria Marin, preso na Suíça em maio como parte do inquérito dos EUA sobre a corrupção no futebol, já foi extraditado para enfrentar julgamento na Justiça norte-americana.

Também foram indiciados pelas autoridades dos EUA por suposto envolvimento no mesmo esquema de corrupção o presidente licenciado da CBF, Marco Polo Del Nero, e o ex-presidente da entidade Ricardo Teixeira. Ambos, no entanto, permanecem em liberdade.

(Reportagem de Richard Lough e Nicolás Misculin)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email