Falta d’água faz preço do carro-pipa disparar

Além dos transtornos causados pela falta d’água em Maceió por conta da manutenção de uma estação de tratamento, a população vem sofrendo com os altos valores cobrados para comprar água de carros-pipa, que chegam a R$ 600; previsão é que a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) leve 30 dias para resolver o problema; até lá os bairros ficam em sistema de rodízio 

Além dos transtornos causados pela falta d’água em Maceió por conta da manutenção de uma estação de tratamento, a população vem sofrendo com os altos valores cobrados para comprar água de carros-pipa, que chegam a R$ 600; previsão é que a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) leve 30 dias para resolver o problema; até lá os bairros ficam em sistema de rodízio 
Além dos transtornos causados pela falta d’água em Maceió por conta da manutenção de uma estação de tratamento, a população vem sofrendo com os altos valores cobrados para comprar água de carros-pipa, que chegam a R$ 600; previsão é que a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) leve 30 dias para resolver o problema; até lá os bairros ficam em sistema de rodízio  (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - A falta d'água provocada pela manutenção da Estação de Tratamento do Pratagy tem causado inúmeros transtornos para a população de Maceió. Sem o líquido nas torneiras, os moradores da capital alagoana se veem obrigados a comprar água de carros-pipa. Para isso, estão pagando valores exorbitantes, que chegam a até R$ 600.

A demanda é tanta que os síndicos dos condomínios da capital estão tendo dificuldades para encontrar empresas com carros disponíveis para fazer a distribuição da água, mesmo pagando valores abusivos. Para os imóveis que não têm contrato com essas distribuidoras, a situação é ainda mais complicada, pois é preciso esperar e pagar mais para poder ser atendido.

De acordo com a subsíndica de um prédio situado no bairro da Jatiúca, onde a água só chega a cada dois dias, tem sido necessário fazer o racionamento dentro do próprio condomínio, já que o valor pago pelo carro-pipa é alto e a quantidade de água não atende a todas as necessidades dos moradores.

Ela, que não quis se identificar, destaca que pagou R$ 350 por 16 mil litros de água, mas que só conseguiu efetuar a compra nesse valor porque um dos moradores do condomínio conhecia o dono da empresa que faz a distribuição.

"Fiz uma pesquisa e encontrei carros-pipa sendo vendidos a até R$ 600. Isso é um absurdo porque antes cheguei a comprar por R$ 100. Além de pagar caro, tá muito difícil de encontrar alguma empresa que possa fazer a entrega, já que não temos contrato", afirma a subsíndica.

Em contato coma empresa H2O, que vende água em carros-pipa, a Gazetaweb foi informada que o valor cobrado por 16 mil litros de água era de R$ 400. Quando questionada sobre o aumento, a atendente respondeu que o reajuste ocorreu por conta da grande procura, ressaltando que o aumento é comum e acontece de tempos em tempos.

"Está esse preço por conta do reajuste anual, mas se você quiser, vai ter que ficar ligando para saber se tem vaga, porque estamos com a agenda lotada e não temos previsão para fazer a entrega", falou a mulher do outro lado da linha.

A Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) iniciou os trabalhos de manutenção na estação de tratamento do Pratagy na semana passada. Desde então, foi montado um cronograma de distribuição da água nos bairros de Maceió. O rodízio acontece na parte alta e baixa da cidade e tem sido motivo de muitas reclamações por parte dos maceioenses.
Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247