Falta d'água: Aleluia também bate na Embasa

Presidente do DEM na Bahia, o deputado José Carlos Aleluia também bate no governo do Estado por causa da falta de água que atinge Salvador desde o dia 1º em virtude do rompimento da principal adutora da Embasa nas obras do metrô na BR-324; "Será que milhões de soteropolitanos terão que sofrer o desconforto da falta de água por causa da irresponsabilidade da realização de uma obra sem planejamento?", questiona o democrata

Presidente do DEM na Bahia, o deputado José Carlos Aleluia também bate no governo do Estado por causa da falta de água que atinge Salvador desde o dia 1º em virtude do rompimento da principal adutora da Embasa nas obras do metrô na BR-324; "Será que milhões de soteropolitanos terão que sofrer o desconforto da falta de água por causa da irresponsabilidade da realização de uma obra sem planejamento?", questiona o democrata
Presidente do DEM na Bahia, o deputado José Carlos Aleluia também bate no governo do Estado por causa da falta de água que atinge Salvador desde o dia 1º em virtude do rompimento da principal adutora da Embasa nas obras do metrô na BR-324; "Será que milhões de soteropolitanos terão que sofrer o desconforto da falta de água por causa da irresponsabilidade da realização de uma obra sem planejamento?", questiona o democrata (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Presidente do Democratas (DEM) na Bahia, o deputado federal José Carlos Aleluia também bate no governo do Estado por causa da falta de água que atinge Salvador desde o dia 1º em virtude do rompimento da principal adutora da Embasa (Empresa Baiana de Águas e Saneamento) nas obras do metrô na BR-324.

"Será que milhões de soteropolitanos terão que sofrer o desconforto da falta de água por causa da irresponsabilidade da realização de uma obra sem planejamento?", questiona o democrata. Ele diz que "para se prender um parafuso na parede de uma casa, é necessário olhar a planta do imóvel para não atingir a tubulação ou a rede elétrica".

"Eu não quero crer que um procedimento tão primário como este não foi adotado numa obra desta monta. A Embasa não foi consultada? Onde estavam os técnicos do governo para supervisionar a construção?", indaga Aleluia.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247