Fazenda bloqueia R$ 188 milhões do jogador Neymar

Receita Federal acusa o jogador de sonegação de impostos entre os anos de 2011 e 2013; a retenção do valor teria sido negada em primeira instância, mas o desembargador do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) Carlos Muta, acatou o recurso alegando que havia riscos de Neymar utilizar o dinheiro e prejudicar o erário público

Receita Federal acusa o jogador de sonegação de impostos entre os anos de 2011 e 2013; a retenção do valor teria sido negada em primeira instância, mas o desembargador do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) Carlos Muta, acatou o recurso alegando que havia riscos de Neymar utilizar o dinheiro e prejudicar o erário público
Receita Federal acusa o jogador de sonegação de impostos entre os anos de 2011 e 2013; a retenção do valor teria sido negada em primeira instância, mas o desembargador do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) Carlos Muta, acatou o recurso alegando que havia riscos de Neymar utilizar o dinheiro e prejudicar o erário público (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A Procuradoria da Fazenda Nacional bloqueou R$ 188 milhões do jogador Neymar. Segundo o jornal Correio Brasiliense, a Receita Federal acusa Neymar de sonegação de impostos entre os anos de 2011 e 2013.

Retenção do valor teria sido negada em primeira instância, mas o desembargador do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) Carlos Muta, acatou o recurso alegando que havia riscos do jogador utilizar o dinheiro e prejudicar o erário público. 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email