Fazenda não paga e Unimed suspende atendimento

Servidores filiados à Associação dos Servidores da Secretaria da Administração (Assecad) estão sem poder utilizar o plano de saúde, ao qual são vinculados por meio da entidade, por conta da falta de repasse da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) à Unimed Palmas; o presidente da Assecad, Cleiton Pinheiro, informou que o plano foi suspenso sem aviso prévio

Servidores filiados à Associação dos Servidores da Secretaria da Administração (Assecad) estão sem poder utilizar o plano de saúde, ao qual são vinculados por meio da entidade, por conta da falta de repasse da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) à Unimed Palmas; o presidente da Assecad, Cleiton Pinheiro, informou que o plano foi suspenso sem aviso prévio
Servidores filiados à Associação dos Servidores da Secretaria da Administração (Assecad) estão sem poder utilizar o plano de saúde, ao qual são vinculados por meio da entidade, por conta da falta de repasse da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) à Unimed Palmas; o presidente da Assecad, Cleiton Pinheiro, informou que o plano foi suspenso sem aviso prévio (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - Servidores filiados à Associação dos Servidores da Secretaria da Administração (Assecad) estão sem poder utilizar o plano de saúde, ao qual são vinculados por meio da entidade, por conta da falta de repasse da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) à Unimed Palmas. O presidente da Assecad, Cleiton Pinheiro, informou que o plano foi suspenso sem aviso prévio.

“O governo não fez o repasse para a Unimed do pagamento que venceu agora no dia 20, referente ao mês de abril, cerca de R$ 689 mil. E para nossa surpresa, a Unimed nos comunicou ontem, via email, que já estava suspendendo o plano”, disse ele ao site do Cleber Toledo.

O valor descontado na folha de pagamento do servidor é repassado diretamente pelo Tesouro do Estado para a operadora do plano. “Não passa pela conta da Assecad”, complementou. “Esse plano é totalmente privado, é descontado direto na folha do servidor, não tem subsidio do governo. E o governo reteve esse dinheiro e não fez o repasse para o pagamento da Unimed”.

Segundo ele, a suspensão, “da forma que a Unimed fez”, contraria o que está estabelecido em contrato. “No nosso contrato tem um prazo de comunicação entre a Assecad e a Unimed porque nós dependemos de terceiros para a efetivação desse repasse. O desconto foi feito, o servidor não deve nada. E a Unimed injustificavelmente suspendeu o plano, inclusive, comunicando para gente via email”, acrescentou.

Nesta terça, o gestor da Associação esteve na sede da Secretaria da Fazenda, e cobrou o repasse dos valores. “Nós temos uma relação de 16 anos e nunca tivemos problema. Esperamos que a Unimed reveja a suspensão e volte a atender, pois nós estamos buscando, através da Fazenda, para fazer esse pagamento”.

A Sefaz informou ao presidente da Assecad que até o final do mês vai liquidar todas as parcelas em atraso. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247