Fechamento de agência do BB causa transtornos no interior do Piauí

Denúncia publicada hoje no G1 Piauí mostra a difícil situação dos moradores de Castelo do Piaui, com o fechamento da única agência bancária do município; a agência do Banco do Brasil foi fechada em dezembro de 2016, após um assalto; os maiores prejudicados são aposentados, pensionistas e servidores públicos de quatro municípios da região que utilizavam os serviços; o fechamento da agência também afetou o comércio local, já que economia da cidade depende do dinheiro dos aposentados e do pagamento de benefícios do governo federal feitos no Banco do Brasil; o prefeito, José Magno Soares da Silva (PT), já ofereceu aos representantes do Banco do Brasil, um prédio onde funcionou uma agência do Banco do Estado do Piauí, mas o BB alegou que precisa seguir normas de homologação

Denúncia publicada hoje no G1 Piauí mostra a difícil situação dos moradores de Castelo do Piaui, com o fechamento da única agência bancária do município; a agência do Banco do Brasil foi fechada em dezembro de 2016, após um assalto; os maiores prejudicados são aposentados, pensionistas e servidores públicos de quatro municípios da região que utilizavam os serviços; o fechamento da agência também afetou o comércio local, já que economia da cidade depende do dinheiro dos aposentados e do pagamento de benefícios do governo federal feitos no Banco do Brasil; o prefeito, José Magno Soares da Silva (PT), já ofereceu aos representantes do Banco do Brasil, um prédio onde funcionou uma agência do Banco do Estado do Piauí, mas o BB alegou que precisa seguir normas de homologação
Denúncia publicada hoje no G1 Piauí mostra a difícil situação dos moradores de Castelo do Piaui, com o fechamento da única agência bancária do município; a agência do Banco do Brasil foi fechada em dezembro de 2016, após um assalto; os maiores prejudicados são aposentados, pensionistas e servidores públicos de quatro municípios da região que utilizavam os serviços; o fechamento da agência também afetou o comércio local, já que economia da cidade depende do dinheiro dos aposentados e do pagamento de benefícios do governo federal feitos no Banco do Brasil; o prefeito, José Magno Soares da Silva (PT), já ofereceu aos representantes do Banco do Brasil, um prédio onde funcionou uma agência do Banco do Estado do Piauí, mas o BB alegou que precisa seguir normas de homologação (Foto: Fatima 247)

Denúncia publicada hoje no G1 Piauí mostra a difícil situação dos moradores de Castelo do Piaui, com o fechamento da única agência bancária do município. Desde dezembro de 2016, a agência do Banco do Brasil está fechada, após um assalto que explodiu os caixas eletrônicos. Com o fechamento da agência, os moradores da cidade vem enfrentando muitas dificuldades para ter acesso aos serviços do banco. A agência do Banco do Brasil é responsável pelo pagamento da folha dos servidores públicos e de quase 10 mil aposentados de quatro cidades da região, mas desde as ações criminosas encontra-se fechada.

A agência suspendeu os serviços de depósitos, saques e pagamentos por um período indeterminado e sem estes serviços, muitos clientes recorrem à agência dos Correios e casas lotéricas em busca de atendimento. Os dois estabelecimentos não possuem capacidade para atender a demanda e diariamente registram longas filas. Quando a agência dos Correios abre, uma parte das pessoas consegue entrar, enquanto a maioria fica do lado de fora. Porém, ter acesso às dependências nem sempre é sinônimo de ser atendido, já que em muitos casos não há dinheiro para fazer um simples saque de R$100.

Segundo a matéria do G1, o fechamento da agência também está trazendo muitos prejuízos para a economia  município, tanto no movimento comercial como na arrecadação de impostos. Segundo o comerciante Xavier Francisco, 65 anos, dono de um supermercado na cidade o movimento nunca foi tão fraco como nos três últimos meses. "A economia da cidade depende do dinheiro dos aposentados e do pagamento de benefícios do governo federal que são feitos no Banco do Brasil, mas estes clientes estão recebendo seus pagamentos em Campo Maior e por lá fazem suas compras. O movimento caiu muito. Hoje é dia de feira e nos meses anteriores, o comércio ficava lotado. Agora, se conta os clientes que atendo", lamentou o empresário.

O secretário municipal de Finanças de Castelo do Piauí, Marcos Aurélio, revelou que a gestão municipal busca alternativas para que o Banco do Brasil volte a ofertar seus serviços aos clientes e assim colabore com a economia da cidade e que o prefeito, José Magno Soares da Silva (PT), ofertou, em conversas com representantes do Banco do Brasil, um prédio onde funcionava uma agência do Banco do Estado do Piauí (BEP). "Lá tem estrutura de banco e o BB poderia funcionar no local enquanto sua reforma era finalizada. Outra alternativa é transferir os atendimentos para um prédio do Banco do Nordeste, que foi recentemente construído e não vai abrir, de acordo com determinação do banco. Eles desistiram de abrir agências no interior de algumas cidades. As propostas foram feitas e agora restar saber se vão aceitar", declarou.

A assessoria de imprensa do Banco do Brasil informou que a superintendência do banco entende a situação dos moradores de Castelo do Piauí e adjacências e lamenta os transtornos que eles enfrentam com a ausência dos serviços prestados pela instituição. Entretanto, esclarece que somente após um processo de licitação para aquisição de equipamento de segurança e restruturação é que os serviços serão ofertados novamente.

E sobre as ofertas feitas pela Prefeitura de Castelo do Piauí, a assessoria de imprensa comentou que banco precisa seguir normas de homologação.

Com informações do G1 Piauí

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247