Fifa decide banir Marco Polo Del Nero do futebol

O ex-presidente da CBF Marco Polo Del Nero foi banido de forma definitiva pela Fifa de atividades relacionadas ao futebol; ele foi declarado culpado de violar os artigos 21 (suborno e corrupção), 20 (oferecer ou aceitar presentes ou outros benefícios), 19 (conflitos de interesse), 15 (lealdade) e 13 (regras gerais de conduta) do Código de Ética da entidade de futebol; Del Nero terá ainda que pagar uma multa

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, participa de audiência na Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, participa de audiência na Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A Fifa anunciou que o ex-presidente da CBF Marco Polo Del Nero foi banido de forma definitiva de atividades relacionadas ao futebol. Decisão foi tomada, através de julgamento, pelo Comitê de Ética da entidade, após o fim de uma suspensão de 45 dias dada ao brasileiro.

Del Nero foi declarado culpado de violar os artigos 21 (suborno e corrupção), 20 (oferecer ou aceitar presentes ou outros benefícios), 19 (conflitos de interesse), 15 (lealdade) e 13 (regras gerais de conduta) do Código de Ética da Fifa - diz a nota oficial divulgada pela entidade.

Além de estar impedido de desenvolver qualquer função ligada ao futebol, o ex-presidente terá que pagar uma multa de 1 milhão de francos suíços (R$ 3,5 milhões).

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247