Flipkart ainda não fechou acordo para venda de fatia ao Walmart, dizem fontes

A Flipkart recomprou cerca de 350 milhões de dólares em ações dos investidores, já que busca converter a companhia em uma empresa de capital privado, uma medida que pode facilitar o caminho para um novo investidor estratégico, de acordo com documentos regulatórios.

Flipkart ainda não fechou acordo para venda de fatia ao Walmart, dizem fontes
Flipkart ainda não fechou acordo para venda de fatia ao Walmart, dizem fontes
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - O conselho de administração da empresa indiana de comércio eletrônico Flipkart ainda precisa concluir um acordo de venda de fatia controladora para o Walmart, disseram nesta sexta-feira duas fontes com conhecimento direto do assunto.

Segundo eles, um acordo pode sair dentro de dias.

Na manhã desta sexta-feira, a Bloomberg noticiou, citando fontes não identificadas, que o conselho da Flipkart havia aprovado um acordo para vender uma participação de cerca de 75 por cento na companhia para um grupo liderado pelo gigante varejista norte-americano Walmart por cerca de 15 bilhões de dólares.

Uma terceira fonte disse à Reuters que, embora o conselho da Flipkart tenha “a princípio” aprovado um engajamento com o Walmart, preocupações relacionadas à tributação e outras questões precisavam ser resolvidas.

As duas primeiras fontes afirmaram que a Alphabet, holding controladora do Google, também está propensa a investir na Flipkart juntamente com o Walmart, mas os temos do acordo podem mudar.

O japonês SoftBank Group, maior investidor na empresa indiana por meio de seu fundo de private equity, considera vender sua participação de quase 20 por cento, como parte do acordo, se o preço estiver adequado, disseram as duas fontes.

“O SoftBank não gosta de ser um investidor passivo”, afirmou uma delas.

A Reuters havia noticiado anteriormente que o Walmart estava em conversas avançadas com a Flipkart para adquirir uma fatia controladora do grupo de comércio eletrônico indiano por um valor de pelo menos 18 bilhões de dólares.

A Flipkart recomprou cerca de 350 milhões de dólares em ações dos investidores, já que busca converter a companhia em uma empresa de capital privado, uma medida que pode facilitar o caminho para um novo investidor estratégico, de acordo com documentos regulatórios.

Flipkart e Alphabet não responderam ao pedido da Reuters por comentários. Walmart e Softbank se recusaram a comentar.

OFERTA DA AMAZON

No início desta semana, a emissora indiana de TV CNBC-TV18 informou qe a Amazon.com teria feito uma proposta para comprar 60 por cento da Flipkart e que também havia oferecido uma multa de 2 bilhões de dólares por quebra de contrato para convencer o grupo indiano a discutir a oferta.

Fontes disseram à Reuters que a Amazon tinha mostrado interesse em comprar a Flipkart, mas disseram que um acordo com o Walmart era muito mais provável. A Amazon é o principal rival da Flipkart na Índia.

A investida da Amazon pode puxar para cima a avaliação da companhia indiana, mas um engajamento com a gigante norte-americana pode trazer riscos para Flipkart, segundo fontes e advogados da indústria.

Além do risco de abrir os documentos para o processo de due diligence e expor acordos comerciais sensíveis para a maior rival na Índia, uma combinação entre Amazon e Flipkart pode enfrentar obstáculos antitruste, de acordo com as fontes.

Por Sankalp Phartiyal e Nivedita Bhattacharjee e Aditya Kalra

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247