Fontana: Renúncia de Cunha é manobra para salvar mandato articulada com Temer

O deputado federal Henrique Fontana (PT/RS) afirmou nesta quinta (7) que Eduardo Cunha "continua jogando muito forte na política nacional, mesmo entrando para a história como o mais corrupto e pior presidente que o parlamento brasileiro já teve"; “A renúncia dele é a comprovação da ilegitimidade e da ilegalidade do processo de impeachment que na verdade foi um golpe parlamentar constituído por esta maioria que se articula em torno de Temer e Cunha”, disse; segundo o petista, Michel Temer e Cunha são sócios; Fontana disse ainda que Temer tem promovido nomeações em cargos de governo para facilitar o mandato de Cunha

O deputado federal Henrique Fontana (PT/RS) afirmou nesta quinta (7) que Eduardo Cunha "continua jogando muito forte na política nacional, mesmo entrando para a história como o mais corrupto e pior presidente que o parlamento brasileiro já teve"; “A renúncia dele é a comprovação da ilegitimidade e da ilegalidade do processo de impeachment que na verdade foi um golpe parlamentar constituído por esta maioria que se articula em torno de Temer e Cunha”, disse; segundo o petista, Michel Temer e Cunha são sócios; Fontana disse ainda que Temer tem promovido nomeações em cargos de governo para facilitar o mandato de Cunha
O deputado federal Henrique Fontana (PT/RS) afirmou nesta quinta (7) que Eduardo Cunha "continua jogando muito forte na política nacional, mesmo entrando para a história como o mais corrupto e pior presidente que o parlamento brasileiro já teve"; “A renúncia dele é a comprovação da ilegitimidade e da ilegalidade do processo de impeachment que na verdade foi um golpe parlamentar constituído por esta maioria que se articula em torno de Temer e Cunha”, disse; segundo o petista, Michel Temer e Cunha são sócios; Fontana disse ainda que Temer tem promovido nomeações em cargos de governo para facilitar o mandato de Cunha (Foto: Valter Lima)

247 - “A renúncia de Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputados é um acordo feito com o presidente interino, ilegítimo e golpista de Michel Temer para melhorar as condições do governo e preservar o mandato de Cunha”, resumiu o deputado federal Henrique Fontana (PT/RS) nesta quinta-feira (7).

O deputado alerta que Cunha continua jogando muito forte na política nacional, mesmo entrando para a história como o mais corrupto e pior presidente que o parlamento brasileiro já teve.

“A renúncia dele é a comprovação da ilegitimidade e da ilegalidade do processo de impeachment que na verdade foi um golpe parlamentar constituído por esta maioria que se articula em torno de Temer e Cunha”, registra o parlamentar.

Saída calculada para salvar mandato

Para Fontana, Temer e Cunha são sócios. “ É uma renúncia calculada em benefício próprio, para tentar preservar o mandato de deputado e eleger alguém para sucedê-lo na presidência do parlamento para seguir com a mesma lógica”, denuncia. Fontana diz ainda que Temer tem promovido nomeações em cargos de governo para facilitar o mandato de Cunha.

O deputado gaúcho aponta que a renúncia significa o acordo para proteger Cunha no futuro, obstruir investigações contra a corrupção, como ficou muito claro nas gravações de Romero Jucá, Sérgio Machado, Renan Calheiros, entre outros.

Por um parlamento que defenda o país

Fontana afirma que vai trabalhar para construir a candidatura de um representante de qualquer partido que tenha votado contra o golpe e lutado contra os desmandos e autoritarismos de Cunha. “Não pode haver a precipitação dos aliados de Cunha, depois de submeter o país a maior crise das últimas décadas”.

Vamos tentar desmanchar este acordo na política que pretende, em poucas horas fazer um sucessor para continuar na Câmara e manter o poder na casa. “Devemos ter prudência para construir esta alternativa, dialogar com todas estas forças e desmontar esta estrutura de poder montada por Cunha”, disse Fontana em coletiva à imprensa.

Governo ilegítimo tem que acabar

O parlamentar gaúcho alerta que com esta manobra, Cunha tenta ganhar tempo enquanto tenta eleger um sucessor para um mandato tampão e engavete o pedido de cassação do seu mandato.

“O governo golpista veio para aplicar um programa contrário ao que foi eleito pelo povo brasileiro e para proteger corruptos como Cunha. Temos que continuar atentos porque o que precisa ser combatido nesse momento é o governo ilegítimo de Temer que tem que acabar o quanto antes”, concluiu.

Nesta semana Temer retirou a urgência de quatro projetos de combate à corrupção. O governo golpista, diz Fontana, também sofreu derrota no projeto da renegociação da dívida dos estados e terá dificuldade de manter sua base unificada porque não tem a legitimidade dos votos da população brasileira e não chega a 15% nas pesquisas de intenção de voto mostrando sua inconsistência.

Há um mês, o STF por unanimidade manteve a suspensão liminar do seu mandato – que o impede de participar das sessões – e o afastamento indeterminado de Cunha da presidência. A Comissão de Ética da Câmara encaminhou pela cassação do mandato que deve ser apreciada em plenário e precisa de pelo menos 257 dos 512 deputados para sua punição.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247