Fornecedores fecham avenida e cobram pagamento

Cobradores na porta querendo pagamentos referentes a contratos anteriores e avenida fechada, em Maceió; esse foi o protesto de um grupo de fornecedores em frente à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), que informa que está em negociação com os fornecedores e que os contratos firmados desde 1º de janeiro de 2015 estão sendo cumpridos

Cobradores na porta querendo pagamentos referentes a contratos anteriores e avenida fechada, em Maceió; esse foi o protesto de um grupo de fornecedores em frente à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), que informa que está em negociação com os fornecedores e que os contratos firmados desde 1º de janeiro de 2015 estão sendo cumpridos
Cobradores na porta querendo pagamentos referentes a contratos anteriores e avenida fechada, em Maceió; esse foi o protesto de um grupo de fornecedores em frente à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), que informa que está em negociação com os fornecedores e que os contratos firmados desde 1º de janeiro de 2015 estão sendo cumpridos (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - Um grupo de fornecedores fez um novo protesto, nesta terça-feira (12), em frente à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) para cobrar, do órgão, pagamento referente aos contratos firmados em anos anteriores. Os manifestantes bloquearam o trecho da Avenida da Paz, no bairro de Jaraguá, em Maceió, ateando fogo em pneus, impedindo, assim, o tráfego de veículos.

“A Secretaria Estadual de Saúde não tem recurso financeiro necessário para nos pagar. É por isso que muitos morrem em hospitais públicos do estado. As unidades não têm insumos suficientes para tratar o paciente. Falta tudo”, disse um fornecedor, que preferiu não ser identificado.

Eles ainda afirmam que a secretaria alega que está com o ordenamento em dia, mas os abastecimentos não estão sendo feitos da maneira correta nos hospitais, conforme falaram os fornecedores.

Os manifestantes ainda pediram aos servidores da pasta a participarem da reivindicação, junto com eles. “Nós sabemos que eles passam por necessidades e também estão com os salários atrasados”, denuncia um dos fornecedores.

Agentes da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) foram chamados para controlar o fluxo de veículos no local. Militares do 1º Batalhão também foram mobilizados.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) informou que está em permanente negociação com os fornecedores e que presta todas as informações necessárias. A pasta salientou, ainda, que os contratos firmados desde 1º de janeiro de 2015 estão sendo cumpridos rigorosamente e todos os pagamentos têm sido honrados. 

Com gazetaweb.com

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247