Fotossensores serão reativados após inspeção do Inmetro

"Todas as etapas de contratação da empresa foram cumpridas, nossas equipes já fizeram a avaliação das condições dos equipamentos e estamos aguardando apenas a aferição do Inmetro, que pensávamos que seria iniciada na última segunda-feira, para ligar os equipamentos", explica o superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller

Fotossensores serão reativados após inspeção do Inmetro
Fotossensores serão reativados após inspeção do Inmetro (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247

A Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador) informa que ainda não foi possível a reativação dos fotossensores. A expectativa de que voltassem a funcionar na última segunda-feira (14) não se concretizou em razão da necessidade de aferição dos equipamentos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Uma reunião com representantes da Transalvador e do órgão federal, responsável pela fiscalização dos instrumentos de medição, deverá ocorrer nesta quinta-feira (17) para definir um cronograma de verificação dos fotossensores, que, à medida que forem avaliados e certificados, voltarão a funcionar.

"Todas as etapas de contratação da empresa foram cumpridas, nossas equipes já fizeram a avaliação das condições dos equipamentos e estamos aguardando apenas a aferição do Inmetro, que pensávamos que seria iniciada na última segunda-feira, para ligar os equipamentos", explica o superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller.

Em Salvador, há instalados 60 fotossensores. De acordo com Muller, em breve, mais 20 serão acrescentados ao sistema de controle de velocidade e normas de trânsito da cidade. O superintendente da Transalvador informa também que está sendo feito o levantamento de todos os semáforos que estão apresentando problemas para a realização de reparo ou substituição.

"Muitos dos problemas dos semáforos são decorrentes da idade média das placas controladoras dos semáforos, acima de 20 anos. Estamos avaliando a substituição por sistemas mais modernos", diz Muller.

Outra causa para as sinaleiras estarem desligadas é o roubo da fiação para a venda do cobre. "Já denunciamos o problema à polícia, que está investigando esse tipo de ação criminosa, que vem se tornando comum".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email