Frente Esquadrão Popular organiza debate contra homofobia no futebol

Para dar continuidade às ações de combate à discriminação no esporte, a Frente Esquadrão Popular (FEP) promove neste sábado (7/12) um debate sobre a “Homofobia no Futebol”

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

As bandeirinhas de escanteio foram trocadas pelas cores da bandeira LGBT. Um vídeo institucional clamou por tolerância e respeito às diferenças. Estas duas ações em setembro deste ano, como parte da campanha do Esporte Clube Bahia contra a homofobia no futebol, marcaram positivamente o futebol brasileiro em 2019. 

Para dar continuidade às ações de combate à discriminação no esporte, a Frente Esquadrão Popular (FEP) promove neste sábado (7/12) um debate sobre a “Homofobia no Futebol”. A FEP é um grupo de torcedores do Bahia de pensamento progressista, que acredita no poder transformador do futebol e em seu uso para reconfigurar o imaginário social. 

O debate acontecerá no Bar Velho Espanha, nos Barris, em Salvador, às 16 horas. A entrada é gratuita. O local é um tradicional reduto de esquerda na capital da Bahia e espaço para discussões e manifestações culturais. 

Na mesa, estarão o jornalista e ativista LGBT William de Lucca e Onã Rudá, fundador da torcida LGBTricolor e diretor da União Nacional LGBT Bahia. A mediação será de Arizinha Souza, colunista do site Donas da Bola. 

"Esse evento traz pro centro do debate uma questão essencial para que construamos uma sociedade sem preconceitos e discriminações. Debater homofobia no futebol, que é um ambiente cristalizado onde muitos valores opressivos são reproduzidos, garante que pensemos a inclusão desse público, outrora rejeitado nesse esporte", diz Onã.

O jornalista William de Lucca coloca o Esporte Clube Bahia como um exemplo nas lutas contra a opressão no país. "Estar na Bahia debatendo este tema é sensacional, porque o estado tem sido celeiro de iniciativas contra a intolerância no futebol que precisam ser vistas e copiadas. Os demais clubes tem de correr atrás para igualar o trabalho que o Bahia tem feito", pontua.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email