"Fui homossexual e sei o que estou dizendo"

Afirmativa é do "ex-gay" deputado Pastor Sargento Isidório (PSB), que saiu em defesa do presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, Marco Feliciano (PSC), solidário ao pastor polêmico, o parlamentar baiano disse que Feliciano sofre perseguição religiosa e reiterou suas palavras de que homossexuais são "amaldiçoados"

"Fui homossexual e sei o que estou dizendo"
"Fui homossexual e sei o que estou dizendo"
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247

Não bastasse toda a confusão que causa sozinho por onde tem passado, o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, deputado Marco Feliciano (PSC) conseguiu reforço em sua passagem por Salvador nesta quinta-feira.

"Ex-gay", como se autointitula, o deputado estadual Pastor Sargento Isidório (PSB), segurando a bíblia, disse que o irmão de fé está sendo vítima de intolerância religiosa.

"Ninguém pode ser forçado a ser gay. Se a bíblia diz que o homem e a mulher foram os sexos abençoados, qualquer outro é amaldiçoado. Quem diz isso é a bíblia, o papa e os pastores. Eu fui homossexual e sei o que estou dizendo. Tenho 18 anos de recuperado e tenho amigos se recuperando em clínicas", contou o deputado baiano.

Discurso de apoio a Feliciano aconteceu na Igreja Batista Avivamento Profético, onde foi realizado o 20º Congresso do Poder do Impacto do Espírito Santo, no bairro da Ribeira, Cidade Baixa.

'Celebridade' da noite, o deputado Marco Feliciano chegou já depois das 21h e abriu seu discurso. "Pense em um homem que não sabe bater, mas eu aguento apanhar. Nunca fui bom em bater em ninguém, mas sempre aguentei o peso, já sofri muito preconceito. Deixem falar o que quiser, deixem rir de você, deixem especularem. Vai chegar o tempo, e não vai demorar muito, em que você será exaltado", disse o deputado, quase chorando.

Para fechar a passagem pela capital baiana, Feliciano recebeu da Federação Brasileira de Defesa dos Direitos Humanos (FBDDH) o diploma de 'defensor dos direitos humanos'.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email