Gabrielli: Eu não tinha como saber o que estava acontecendo objetivamente

Citado novamente no esquema de corrupção da Petrobras, o ex-presidente da estatal José Sérgio Gabrielli nega as acusações e diz que a ex-gerente executiva da área de abastecimento Venina Velosa da Fonseca "está mentindo" ao dizer que ele tinha conhecimento das irregularidades; "O que eu sei é que ela disse que reforçou os problemas. O que sei de fato é que doutora Venina fez relatório sobre o comportamento da empresa. Já existiu R$ 380 milhões da Petrobras depois das denúncias ainda não se tem uma visão clara das coisas. Eu não tinha como saber o que estava acontecendo objetivamente. Eu me sinto tranquilo em relação a isso"

Citado novamente no esquema de corrupção da Petrobras, o ex-presidente da estatal José Sérgio Gabrielli nega as acusações e diz que a ex-gerente executiva da área de abastecimento Venina Velosa da Fonseca "está mentindo" ao dizer que ele tinha conhecimento das irregularidades; "O que eu sei é que ela disse que reforçou os problemas. O que sei de fato é que doutora Venina fez relatório sobre o comportamento da empresa. Já existiu R$ 380 milhões da Petrobras depois das denúncias ainda não se tem uma visão clara das coisas. Eu não tinha como saber o que estava acontecendo objetivamente. Eu me sinto tranquilo em relação a isso"
Citado novamente no esquema de corrupção da Petrobras, o ex-presidente da estatal José Sérgio Gabrielli nega as acusações e diz que a ex-gerente executiva da área de abastecimento Venina Velosa da Fonseca "está mentindo" ao dizer que ele tinha conhecimento das irregularidades; "O que eu sei é que ela disse que reforçou os problemas. O que sei de fato é que doutora Venina fez relatório sobre o comportamento da empresa. Já existiu R$ 380 milhões da Petrobras depois das denúncias ainda não se tem uma visão clara das coisas. Eu não tinha como saber o que estava acontecendo objetivamente. Eu me sinto tranquilo em relação a isso" (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Citado novamente no esquema de pagamento de propina em contratos de empreiteiras com a Petrobras, o ex-presidente da estatal José Sérgio Gabrielli nega as acusações e diz que a ex-gerente executiva da área de abastecimento Venina Velosa da Fonseca "está mentindo" ao dizer que ele tinha conhecimento das irregularidades.

"O que eu sei é que ela disse que reforçou os problemas. O que sei de fato é que doutora Venina fez relatório sobre o comportamento da empresa. Já existiu R$ 380 milhões da Petrobras depois das denúncias ainda não se tem uma visão clara das coisas. Eu não tinha como saber o que estava acontecendo objetivamente. Eu me sinto tranquilo em relação a isso", diz Gabrielli em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia.

Para o ex-presidente da Petrobras, o "ataque sistemático da oposição" em relação a ele "é uma questão política".

"É impossível se identificar esse tipo de comportamento internamente. Isso é um caso de polícia e, como tal, vai ser descoberto por investigação policial que vem de outras fontes, como é o caso da Operação Lava Jato, que começa por investigações sobre utilização de dinheiro ilícito".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247