Garotas aprendem a trocar pneus e ver nível de óleo na escola na Austrália

O Colégio Stella Maris, em Sydney, na Austrália, ofereceu um curso para ensinar meninas a fazer atividades como troca de pneus e verificar a pressão das rodas de automóveis

Colégio de Sydney, na Austrália, faz workshop visando a independência das mulheres
Colégio de Sydney, na Austrália, faz workshop visando a independência das mulheres (Foto: Reprodução/Facebook/Stella Maris College)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Colégio Stella Maris, em Sydney, na Austrália, ofereceu um curso para ensinar meninas a trocar pneus, a verificar a pressão das rodas de automóveis, a monitorar o nível de óleo e como reagir em caso de acidente de carro. O workshop aconteceu na última semana e, de acordo com a escola, o objetivo é "incentivar as meninas a serem jovens fortes, independentes e engenhosas". 

O curso foi feito pela empresa Galmatic, composta majoritariamente por uma equipe feminina. Os relatos foram publicados pela coluna Universa

"Ensinamos até 100 mil adolescentes por ano nas escolas, em todas as partes de Sydney", disse Eleni Mitakos, diretora da Galmatic, ao Daily Mail Australia. 

Segundo a diretora, é essencial que as pessoas conheçam o veículo e saibam lidar com situações de emergências.

"O objetivo principal é que as adolescentes se sintam confortáveis ao volante. Em última análise, estão a conduzir veículos muito grandes que podem ter manutenções muito caras se não forem devidamente tratados. Você nunca deve ignorar um problema com seu carro, você precisa resolver isso para sua própria segurança".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247