Gebran reduz pena de Leo Pinheiro para regime semiaberto

O relator do processo no TRF4 considerou que Léo Pinheiro e Agenor Franklin, ex-executivo da construtora, prestaram "cooperação efetiva" com o processo e, por isso, votou por reduzir a pena dos dois ex-dirigentes da OAS; Léo Pinheiro, que depôs contra Lula, teve a pena reduzida de 10 anos e 8 meses para 3 anos e 6 meses em regime semiaberto

O relator do processo no TRF4 considerou que Léo Pinheiro e Agenor Franklin, ex-executivo da construtora, prestaram "cooperação efetiva" com o processo e, por isso, votou por reduzir a pena dos dois ex-dirigentes da OAS; Léo Pinheiro, que depôs contra Lula, teve a pena reduzida de 10 anos e 8 meses para 3 anos e 6 meses em regime semiaberto
O relator do processo no TRF4 considerou que Léo Pinheiro e Agenor Franklin, ex-executivo da construtora, prestaram "cooperação efetiva" com o processo e, por isso, votou por reduzir a pena dos dois ex-dirigentes da OAS; Léo Pinheiro, que depôs contra Lula, teve a pena reduzida de 10 anos e 8 meses para 3 anos e 6 meses em regime semiaberto (Foto: Gisele Federicce)

247 - O desembargador Pedro Gebran Neto, relator do recurso do ex-presidente Lula e outros réus no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), votou pela redução da pena de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS.

O relator considerou que Léo Pinheiro e Agenor Franklin, ex-executivo da construtora, prestaram "cooperação efetiva" com o processo e, por isso, votou por reduzir a pena dos dois ex-dirigentes da OAS.

Pinheiro teve a punição diminuída de 10 anos e 8 meses para 3 anos e 6 meses em regime semiaberto, além de 70 dias-multa. A pena de Franklin caiu de seis anos de prisão para um ano e 10 meses em regime aberto, e 43 dias-multa.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247