Geddel negociou anistia ao caixa dois com JBS

Mais uma delação premiada envolve Geddel Vieira Lima em crimes; segundo o depoimento do diretor jurídico da JBS, Francisco de Assis e Silva, o ex-ministro Geddel se reuniu várias vezes com ele em Brasília para tratar de uma maneira de anistiar os crimes de caixa dois; Silva chegou a entregar a Geddel a minuta de um projeto de lei para conseguir livrar políticos de serem punidos por dinheiro de campanha não declarado

Presidente Michel Temer e Geddel Vieira Lima, durante reunião no Palácio do Planalto, em junho de 2016 15/06/2016 REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Michel Temer e Geddel Vieira Lima, durante reunião no Palácio do Planalto, em junho de 2016 15/06/2016 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Charles Nisz)

Bahia 247 - Com a proximidade de um acordo de delação de outro executivo da JBS à Procuradoria-Geral da República, o nome do ex-ministro Geddel Viera Lima volta à berlinda. O ex-ministro de Temer teria discutido com a empresa um projeto de anistia ao caixa dois.

Segundo o depoimento do diretor jurídico da empresa, Francisco de Assis e Silva, ele esteve várias vezes em Brasília com Geddel em Brasília para trtar do tema. Silva chegou a entregar a Geddel o rascunho de um projeto de lei para anistiar o caixa dois, o que livraria vários políticos de punição. Pelo texto, o caixa dois seria tratado como os crimes tributários - ao serem confessados, deixam de ser penalizados.

No ano passado, Geddel foi um dos primeiros políticos a vir a público defender abertamente a anistia ao caixa dois. Ele ainda era ministro da Secretaria de Governo de Michel Temer. O peemedebista, no entanto, sempre negou ter a intenção de querer "melar" a Lava Jato.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247