Geddel se desespera com delação de Funaro, diz colunista

Ex-ministro Geddel Vieira Lima está 'desesperado' com a delação que está por vir do empresário Lúcio Funaro, que está preso há sete meses no âmbito da Lava Jato; de acordo com o colunista Lauro Jardim, do O Globo, o baiano passou a "telefonar insistentemente para a mulher de Funaro para prestar solidariedade e, como quem não quer nada, saber se ele já havia começado a delatar"; Funaro é acusado de envolvimento no esquema de cobrança de propinas de empresas que obtinham empréstimos do FI-FGTS; o esquema era comandado por Cunha e Funaro, segundo o ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto

Geddel
Geddel (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima está 'desesperado' com a delação que está por vir do empresário Lúcio Funaro, que está preso há sete meses no âmbito da Operação Lava Jato.

De acordo com o colunista Lauro Jardim, do O Globo, o baiano passou a "telefonar insistentemente para a mulher de Funaro para prestar solidariedade e, como quem não quer nada, saber se ele já havia começado a delatar".

Três políticos do PMDB são alvos da delação, segundo Jardim: o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Geddel Vieira Lima e Eliseu Padilha.

Preso em julho de 2016, Funaro é acusado de envolvimento no esquema de cobrança de propinas de empresas que obtinham empréstimos do Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS). O esquema era comandado por Cunha e Funaro, segundo o ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto.

Conforme o delator, as irregularidades teriam ocorrido entre 2011 e 2015. Cunha é acusado de ficar com 80% da propina desviada do fundo de investimento, Funaro com 12%, Cleto com 4% e Margotto, com outros 4%.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247