Geddel usa Aécio e Eduardo para atacar gestão do PT

Secretário nacional do PMDB aparece nas inserções partidárias na TV destacando as gestões dos dois possíveis adversários da presidente Dilma Rousseff em 2014; Geddel ataca a "má gestão" do petista Jaques Wagner com o "sucesso" do governo de Minas Gerais, comandado pelo hoje senador Aécio Neves (PSDB) entre 2003 e 2010, e do governo de Pernambuco, de Eduardo Campos; apesar da reprovação do PT, o pré-candidato petista ao Governo da Bahia acha que sua atitude é natural; "Não estou preocupado com interpretações de políticos. Eu quero é que o povo veja aquilo lá"; veja vídeo

Secretário nacional do PMDB aparece nas inserções partidárias na TV destacando as gestões dos dois possíveis adversários da presidente Dilma Rousseff em 2014; Geddel ataca a "má gestão" do petista Jaques Wagner com o "sucesso" do governo de Minas Gerais, comandado pelo hoje senador Aécio Neves (PSDB) entre 2003 e 2010, e do governo de Pernambuco, de Eduardo Campos; apesar da reprovação do PT, o pré-candidato petista ao Governo da Bahia acha que sua atitude é natural; "Não estou preocupado com interpretações de políticos. Eu quero é que o povo veja aquilo lá"; veja vídeo
Secretário nacional do PMDB aparece nas inserções partidárias na TV destacando as gestões dos dois possíveis adversários da presidente Dilma Rousseff em 2014; Geddel ataca a "má gestão" do petista Jaques Wagner com o "sucesso" do governo de Minas Gerais, comandado pelo hoje senador Aécio Neves (PSDB) entre 2003 e 2010, e do governo de Pernambuco, de Eduardo Campos; apesar da reprovação do PT, o pré-candidato petista ao Governo da Bahia acha que sua atitude é natural; "Não estou preocupado com interpretações de políticos. Eu quero é que o povo veja aquilo lá"; veja vídeo (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247

O portal Folha.com destaca em matéria nesta tarde o posicionamento do secretário nacional do PMDB e vice-presidente da Caixa Econômica, Geddel Vieira Lima, nas inserções partidárias na TV destacando as gestões de dois possíveis adversários da presidente Dilma Rousseff em 2014, o senador Aécio Neves (PSDB) e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, do PSB, conforme o Bahia 247 publicou há dois dias.

Nas propagandas Geddel ataca a "má gestão" do petista Jaques Wagner com o "sucesso" do governo de Minas Gerais, comandado pelo hoje senador Aécio Neves (PSDB) entre 2003 e 2010, e do governo de Pernambuco, de Eduardo Campos. Também aparece com destaque o governo do Paraná, também sob gestão tucana, de Beto Richa. São quatro as propagandas, cada uma com 30 segundos.

"Enquanto os alunos da rede estadual da Bahia sofrem com escolas maltratadas, greve de professores e evasão escolar, Minas Gerais implantou a melhor escola pública do país", diz o ex-ministro.

O discurso segue na comparação do governo da Bahia com o do Paraná do tucano Beto Richa na questão da saúde, assim como os temas da segurança e da indústria, em que Pernambuco é usado como referência.

Nestes momentos, surgem música de fundo, imagens com tons fortes e em câmera lenta, em contraposição às cenas da Bahia, que não têm fundo musical e nas quais as imagens surgem com tons mais "apagados".

Geddel disse em entrevista à Folha que todos podem ver a publicidade da maneira que entenderem. "É um direito de cada um. Não estou preocupado com interpretações de políticos. Eu quero é que o povo veja aquilo lá".

O objetivo, segundo ele, é mostrar que outros estados conseguem resolver problemas que considera graves na Bahia. "Só isso".

Questionado sobre a ausência de casos do PMDB, Geddel se esquiva: "O Rio de Janeiro é um governo a que, nesse momento, não estou querendo me comparar".

O presidente do PT na Bahia, Jonas Paulo, contudo, não vê a propaganda do PMDB com a mesma naturalidade demonstrada por Geddel. Para o petista, o foco de Geddel deveria ser os estados do seu partido, "que não são nenhum exemplo a ser seguido".

"Acho que ele continua funcionando como um auxiliar da oposição demo-tucana ao governo federal, do qual ele participa", diz Jonas.

Abaixo a propaganda do PMDB.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email