Geraldo diz PSB é oposição ao PT em nível local e nacional

Candidato à reeleição, o atual prefeito do Recife e secretário nacional do PSB, Geraldo Julio, e rechaçou qualquer tentativa de reatar a aliança histórica que o partido mantinha com o PT e que acabou em 2012; "Nossa posição política tanto aqui no Recife quanto nacionalmente é de oposição ao PT", afirmou; declaração veio na esteira do aceno feito pelo ex-prefeito João Paulo (PT), seu adversário na disputa municipal. que disse em entrevista à imprensa que achava ser "possível uma reaproximação entre PT e PSB no Estado"

Candidato à reeleição, o atual prefeito do Recife e secretário nacional do PSB, Geraldo Julio, e rechaçou qualquer tentativa de reatar a aliança histórica que o partido mantinha com o PT e que acabou em 2012; "Nossa posição política tanto aqui no Recife quanto nacionalmente é de oposição ao PT", afirmou; declaração veio na esteira do aceno feito pelo ex-prefeito João Paulo (PT), seu adversário na disputa municipal. que disse em entrevista à imprensa que achava ser "possível uma reaproximação entre PT e PSB no Estado"
Candidato à reeleição, o atual prefeito do Recife e secretário nacional do PSB, Geraldo Julio, e rechaçou qualquer tentativa de reatar a aliança histórica que o partido mantinha com o PT e que acabou em 2012; "Nossa posição política tanto aqui no Recife quanto nacionalmente é de oposição ao PT", afirmou; declaração veio na esteira do aceno feito pelo ex-prefeito João Paulo (PT), seu adversário na disputa municipal. que disse em entrevista à imprensa que achava ser "possível uma reaproximação entre PT e PSB no Estado" (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Candidato à reeleição, o atual prefeito do Recife e secretário nacional do PSB, Geraldo Julio, e rechaçou qualquer tentativa de reatar a aliança histórica que o partido mantinha com o PT e que acabou em 2012. "Nossa posição política tanto aqui no Recife quanto nacionalmente é de oposição ao PT", afirmou o socialista.

A declaração veio na esteira do aceno feito pelo ex-prefeito João Paulo (PT), seu adversário na disputa municipal. João Paulo havia dito em entrevista ao jornal Folha de São Paulo que achava ser "possível uma reaproximação entre PT e PSB no Estado".

Geraldo disse que o rompimento das alianças históricas entre as legendas, ainda em 2012, aconteceu porque o PT "virou as costas para o povo e a cidade". Na época, o então governador Eduardo Campos lançou Gerald como candidato em uma espécie de ensaio para o rompimento definitivo que se daria com a sua candidatura á Presidência da República em 2013.

"Nós rompemos nacionalmente com o PT, em 2013, e lançamos uma candidatura à Presidência da República. Então nossa posição política tanto aqui no Recife quanto nacionalmente é de oposição ao PT. Se o PT está reanalisando a posição deles essa é uma posição que só eles podem falar", destacou o socialista.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247