Gestão de Geraldo Julio é aprovada por 57,6%

Pesquisa realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas aponta que a administração do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), é aprovada por 57,6% do eleitorado da capital pernambucana; segundo o estudo, caso as eleições municipais de 2016 fossem realizadas hoje, o socialista seria reeleito com 28,3% dos votos, ficando à frente do ex-prefeito João Paulo (PT), com 19,4%, e do deputado federal e ex-governador Jarbas Vasconcelos (PMDB), com 19,1%; Geraldo também venceria os adversários em um eventual segundo turno

OLINDA,PE,27.11.2013:EDUARDO CAMPOS/GERALDO JÚLIO/OLINDA - O prefeito de Recife, Geraldo Júlio durante a assinatura do contrato de concessão dos lotes 1 e 2 e lançamento do edital dos outros cinco lotes do Sistema de Transporte Público, no Centro de Conve
OLINDA,PE,27.11.2013:EDUARDO CAMPOS/GERALDO JÚLIO/OLINDA - O prefeito de Recife, Geraldo Júlio durante a assinatura do contrato de concessão dos lotes 1 e 2 e lançamento do edital dos outros cinco lotes do Sistema de Transporte Público, no Centro de Conve (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - Pesquisa realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas aponta que a administração do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), é aprovada por 57,6% dos eleitores da capital pernambucana. Pesquisa também aponta que se as eleições municipais de 2016 fossem realizadas hoje, o socialista seria reeleito com 28,3% dos votos. Em seguida aparecem os nomes do ex-prefeito João Paulo (PT), com 19,4%, e o do deputado federal e ex-governador Jarbas Vasconcelos (PMDB), com 19,1%.

A pesquisa espontânea, porém, revela que o eleitorado recifense não está muito atento à aproximação do calendário eleitoral. Indagado sobre em quem votaria caso as eleições fossem hoje, 74,8% dos entrevistados disseram não saber em quem confiariam os seu voto. Outros 8,3% responderam que não votariam em ninguém. Geraldo Julio obteve apenas 9,6% das intenções de voto enquanto João Paulo teve 3,7%. Jarbas Vasconcelos (1,6%), Daniel Coelho (PSDB [1,1%]) e Edilson Silva (PSOL [0,3%]). Outros nomes obtiveram apenas 0,6% da preferência do eleitor.

Quando estimulado, porém, 28,3% dos eleitores dizem que votariam em Geraldo Julio, 19,4% em João Paulo, 19,1! Em Jarbas Vasconcelos, 7% em Daniel Coelho. Priscila Krause (DEM, aparece com 3,3% da preferência do eleitorado, seguida por Edilson Silva (2,6% e pelo deputado Sílvio Costa Filho (PSC), com 1,7%.

Em um eventual segundo turno disputado com Jarbas Vasconcelos, o prefeito Geraldo Julio obteria 39,7% dos votos. Jarbas teria 34,7% dos votos válidos. Outros 14,7% disseram que não votariam em nenhum deles e 10,7% não souberam responder. Caso o segundo turno fosse disputado com o petista João Paulo, Geraldo Julio também ganharia com 44,9% dos votos válidos, contra 31,7% do adversário.

Já sobre o perfil do próximo prefeito, 27,4% dos entrevistados disseram esperar uma mudança completa na forma de administração da capital pernambucana. Outros 39,7% afirmaram esperar que a gestão mude bastante. Outros 14,3% afirmaram desejar poucas mudanças e 17,1% disseram optar pela continuidade do modelo de administração atual. Outros 1,4% na souberam ou não opinaram.

Em relação a gestão atual, 57,6% dos entrevistados disseram aprovar a administração do PSB, enquanto outros 37,1% informaram desaprovar. Os que não souberam ou não quieram responde a esta pergunta somaram 5,1% dos entrevistados.

O instituto Paraná Pesquisas ouviu 700 pessoas entre os dias 25 e 26 de novembro em diversas regiões do Recife. O grau de confiança do estudo é de 95% e a margem de erro é de 4% para os resultados gerais.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247