Globo crava Eduardo-2014 e PSB nega a afirmação

Apesar da nota publicada neste domingo (13) pelo colunista do jornal o Globo, Ilimar Franco, afirmar que o PSB já teria decidido pela candidatura do presidente da legenda e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à Presidência da República, socialistas do alto escalão e próximos a Campos dizem que tudo ainda não passa de mera especulação; "A única decisão que temos é que o PSB vai buscar o seu caminho, adensar forças. As eleições de 2014 ficam para 2014. O resto é especulação", afirma fonte ligada a Eduardo Campos

Globo crava Eduardo-2014 e PSB nega a afirmação
Globo crava Eduardo-2014 e PSB nega a afirmação (Foto: (5) Cesar Greco / Fotoarena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paulo Emílio_PE247 - Apesar da nota publicada neste domingo (13) pelo colunista do jornal o Globo, Ilimar Franco afirmar que o PSB já teria decidido pela candidatura do presidente da legenda e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à Presidência da República, socialistas próximos a a Campos dizem que tudo ainda não passa de mera especulação. “Não existe decisão alguma. A única decisão que temos é que o PSB vai buscar o seu caminho, adensar forças. As eleições de 2014 ficam para 2014. O resto é especulação”, diz um integrante do círculo próximo a Campos e com bom trânsito no Palácio do Campo das Princesas.  Apesar da negativa, a expectativa fica por conta dos resultados do encontro que o chefe do Executivo pernambucano terá nesta segunda-feira (14) com a presidente Dilma Rousseff (PT), em Brasília.

Segundo a coluna, a candidatura de Campos seria fruto de uma decisão do partido e não de um desejo pessoal do governador.  ''A decisão não foi anunciada, mas já foi tomada, o governador Eduardo Campos será candidato à presidência em 2014. O PSB diz que não é uma decisão pessoal, mas do partido. Explica que não deve nada a ninguém e que está na hora de se emancipar, pois apoiou o ex-presidente Lula por 24 anos. O PSB não crê na vice e considera o casamento entre PT e PMDB indissolúvel, diz a nota.

Na sequência,  o colunista diz, ainda, que as relações entre o ex-presidente Lula, Eduardo Campos e o senador Roberto Requião (PMDB-PR) também teriam chegado ao final. De acordo com a publicação, “Nas eleições no Recife, Lula fez o que Campos pediu: tirou o prefeito João da Costa da sucessão. Mas o socialista não apoiou o candidato do PT. Requião por ter sido um crítico sem trégua de seu governo e do de Dilma”.

“As relações entre Eduardo e Lula continuam como antes. Eles são amigos e aliados. Tudo não passa de especulação”, disse uma fonte ao PE247.  Sobre a reunião que acontecerá em Brasília nesta segunda-feira, o socilsita já havia adiantado ao 247 que as discussões se darão em torno de questões administrativas e políticas”. “Ele vai à Brasília porque foi chamado pela presidente. Mas o que será efetivamente discutido não tem como saber. Eles vão conversar. Mas Eduardo já declarou que estará ao lado de Dilma ao longo deste ano , ajudando o governo no que for preciso”, acrescentou a fonte.

Pelo sim, pelo não, a realização de uma reunião entre Dilma e Eduardo cerca de uma semana após os dois se encontrarem na base naval de Aratu (BA), durante as curtas férias desfrutadas pela presidente, atiçou os ânimos tanto de petistas como de integrantes do PMDB. Integrantes do alto escalão das duas legendas não vêm com bons olhos os afagos feitos pela presidente àquele que pode vir a ser um forte adversário nas eleições presidenciais do próximo ano.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email