Goiás agora tem sala de controle de desastres

Espaço no 2º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira tem equipamentos avaliados em 2,6 milhões que conseguem prever um evento climático incomum com até cinco dias de antecedência; sistema goiano vai auxiliar estados como Maranhão, Pernambuco e Piauí; sala é diretamente ligada à Defesa Civil

Goiás agora tem sala de controle de desastres
Goiás agora tem sala de controle de desastres (Foto: Wagnas Cabral)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247_ Foi inaugurada na manhã de hoje a Sala de Situação e Monitoramento de Riscos e Desastres Naturais, localizada na Secretaria de Ciência e Tecnologia (SecTec), no segundo andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira. A sala é mantida pelo Sistema de Meteorologia e Hidrologia do Estado de Goiás (Simehgo). As informações são colhidas por uma antena receptora de dados de satélite localizada no heliponto do Palácio. Todos os equipamentos que compõem o sistema de monitoramento são os mais modernos do País, de acordo com a superintendente de Políticas e Programas da SecTec, Rosidalva Lopes. A solenidade contou com a presença do governador Marconi Perillo.

A aquisição dos equipamentos e a montagem da sala são resultado de parceria entre o governo do Estado e o governo federal, com investimento de R$ 2,6 milhões. O sistema de Goiás é parceiro de outros estados que ainda não tiveram condições de ter seus próprios sistemas de monitoramento. Goiás auxilia, entre outros, os estados do Maranhão, Pernambuco e Piauí. A sala de monitoramento de desastres é diretamente ligada à Defesa Civil do Estado. Dessa forma, quando os equipamentos preveem algum desastre natural, imediatamente os setores ligados a ele são avisados, para que possam trabalhar no sentido de evitar problemas.

Segundo o secretário de Ciência e Tecnologia, Mauro Faiad, o sistema consegue prever um desastre natural entre cinco dias e dois de antecedência, dependendo do nível de incidência. "São equipamentos de última geração. Estamos online, diretamente ligados, com a defesa civil, repassando as informações para que as pessoas possam se adequar a possíveis desastres naturais, bem como aos agricultores para se atentarem ao período mais adequado com vista ao início do plantio. Dados sobre possíveis pancadas de chuva são informações de qualidade que serão repassadas para todo o Estado", explicou.

Rosidalva ressaltou que a comunidade em geral terá acesso a qualquer informação gerada dentro do Centro em relação ao tempo e ao clima, por meio do site do Simehgo. "Os setores integrados terão em mãos, em tempo real, todos os recursos necessários para se prevenirem. Principalmente em relação aos desastres naturais, focos de queimada, secas, enchentes e descargas elétricas", disse. Ela disse também que está sendo feito um estudo para que o sistema possa atender à grande Goiânia especificamente e à construção do primeiro mapa eólico do Brasil em Goiás, por meio de parceria com Furnas.

O sistema também vai oferecer a previsão de meteorologia da região metropolitana por setores, além do Mapa de Probabilidade de Ocorrência de Secas Meteorológicas. Os dados processados estarão disponíveis em tempo real para qualquer pessoa no site do Simehgo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email