Goiás será 1º em transparência na segurança, diz Eliton

Estatísticas com 100% de confiabilidade vão permitir adoção de estratégias pontuais no combate à criminalidade, disse o vice-governador e titular da Segurança Pública durante sequência de entrevistas a emissoras de TV e rádio, nesta terça; ferramentas que estão sendo estabelecidas no estado são as mais modernas do Brasil, destaca; a partir de 1º de julho, estatísticas serão disponibilizadas no site da secretaria

Estatísticas com 100% de confiabilidade vão permitir adoção de estratégias pontuais no combate à criminalidade, disse o vice-governador e titular da Segurança Pública durante sequência de entrevistas a emissoras de TV e rádio, nesta terça; ferramentas que estão sendo estabelecidas no estado são as mais modernas do Brasil, destaca; a partir de 1º de julho, estatísticas serão disponibilizadas no site da secretaria
Estatísticas com 100% de confiabilidade vão permitir adoção de estratégias pontuais no combate à criminalidade, disse o vice-governador e titular da Segurança Pública durante sequência de entrevistas a emissoras de TV e rádio, nesta terça; ferramentas que estão sendo estabelecidas no estado são as mais modernas do Brasil, destaca; a partir de 1º de julho, estatísticas serão disponibilizadas no site da secretaria (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - A partir do dia 1º de julho, as estatísticas da criminalidade recebidas e validadas pelo Observatório de Segurança Pública e auditados pela Comissão de Instituição do Registro de Atendimento Integrado (CI-RAI), serão disponibilizados no site da Secretaria de Segurança Pública com 100% de confiabilidade. A informação foi transmitida nesta terça-feira (14/06) pelo vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), José Eliton, durante sequência de entrevistas a emissoras de TV e rádio. Os números serão disponibilizados para pesquisadores, imprensa e todos os cidadãos.

“O estado de Goiás, que já é o 2º colocado no ranking nacional da transparência pública, conforme divulgou o Ministério Público Federal, também será na Segurança Pública o estado com o maior volume de transparência”, disse ele numa verdadeira maratona de contatos com jornalistas. José Eliton concedeu entrevistas às rádios Brasil Central, por telefone, e 107,3 FM, onde foi sabatinado no estúdio pelos jornalistas Alípio Nogueira, Marcos Cipriano, Paulo Roberto Prado e Alvaro da Universo. Também conversou com repórteres das TVs Brasil Central e Goiânia e do jornal O Popular. Terminou a manhã com participação, ao vivo, no Jornal Anhanguera, Primeira Edição, ancorado pela jornalista Lilian Lynch. Nesse programa, teve seu trabalho voltado para o combate à criminalidade reconhecido por moradores que participaram da reportagem ao vivo. Na oportunidade, respondeu a questões feitas por telespectadores sobre demandas relacionadas à segurança pública em seus bairros.

O titular da SSPAP detalhou o aperfeiçoamento do método de registro, análise e divulgação de informações sobre todas as modalidades de crimes, a partir da implementação do Registro de Atendimento Integrado (RAI), que é o programa base da Plataforma de Sistemas Integrados (PSI), lançada em 1º de abril. “As ferramentas que estão sendo estabelecidas na segurança pública em Goiás são as mais modernas do Brasil para a apresentação de estatísticas, superiores inclusive às adotadas pelo estado de São Paulo”, disse.

José Eliton também relatou as ações preventivas e ostensivas, a integração das forças policiais e dos sistemas de inteligência “enquanto mecanismos que oferecem respostas rápidas e eficientes no combate à criminalidade”, disse. Segundo ele, os investimentos em tecnologia geram grande impacto na prevenção e na repressão ao crime.

Para o vice-governador, um marco no combate à criminalidade aconteceu durante reunião do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central: Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Rondônia e Maranhão. As discussões culminaram na definição de estratégias para o enfrentamento conjunto à criminalidade, todas formalizadas no documento denominado “Carta de Goiânia”. Na oportunidade, foi criado o Comitê de Inteligência Integrada.

José Eliton defendeu, ainda, investimentos imediatos na construção de presídios e leis mais duras para o combate à criminalidade. Segundo ele, é necessário que o sistema prisional tenha capacidade no sentido de preparar pessoas para voltar à sociedade. “Se as penas fossem cumpridas de maneira integral, os indicadores de criminalidade iriam desabar”, afirma. Segundo ele, o número de suspeitos que já foram presos em Goiás apenas em 2016 chega a 7 mil, em flagrante. Além disso, afirmou que 25 toneladas de entorpecentes foram apreendidas e que 75% dos crimes são solucionados pela Polícia Civil enquanto a média nacional não passa de 25%.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247