Governador acionará Procuradoria contra saída de barracas

O governador Camilo Santana (PT) afirmou nesta quinta (6) que irá acionar a Procuradoria Geral do Estado contra a decisão da Justiça de retirar parte das barracas da Praia do Futuro. Para o chefe do Executivo estadual, a demolição não é a única saída. "Se querem tirar as barracas porque elas estão irregulares, porque não regularizar as barracas diante das irregularidades que estão acontecendo? Acho que aquilo ali é um patrimônio do povo cearense, do povo de Fortaleza. São pontos importantes para o Estado", questionou

O governador Camilo Santana (PT) afirmou nesta quinta (6) que irá acionar a Procuradoria Geral do Estado contra a decisão da Justiça de retirar parte das barracas da Praia do Futuro. Para o chefe do Executivo estadual, a demolição não é a única saída. "Se querem tirar as barracas porque elas estão irregulares, porque não regularizar as barracas diante das irregularidades que estão acontecendo? Acho que aquilo ali é um patrimônio do povo cearense, do povo de Fortaleza. São pontos importantes para o Estado", questionou
O governador Camilo Santana (PT) afirmou nesta quinta (6) que irá acionar a Procuradoria Geral do Estado contra a decisão da Justiça de retirar parte das barracas da Praia do Futuro. Para o chefe do Executivo estadual, a demolição não é a única saída. "Se querem tirar as barracas porque elas estão irregulares, porque não regularizar as barracas diante das irregularidades que estão acontecendo? Acho que aquilo ali é um patrimônio do povo cearense, do povo de Fortaleza. São pontos importantes para o Estado", questionou (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - O governador Camilo Santana (PT) disse hoje (6) que acionará a Procuradoria Geral do Estado contra a decisão da Justiça de retirar parte das barracas da Praia do Futuro, em Fortaleza. “Quando soube da decisão da Justiça, solicitei ao meu procurador qual o mecanismo que o estado poderia encontrar para recorrer ou questionar essa decisão (…) precisamos ver de que forma legal teremos”, disse.

A decisão segue ação do Ministério Público Federal (MPF) que aponta ocupação irregular de área da União. Segundo órgão, as barracas provocam “sérios danos ambientais” à praia. Para o chefe do Executivo estadual, no entanto, a demolição não é a única saída para este trecho da orla da capital. “Se querem tirar as barracas porque elas estão irregulares, porque não regularizar as barracas diante das irregularidades que estão acontecendo? Acho que aquilo ali é um patrimônio do povo cearense, do povo de Fortaleza. São pontos importantes para o Estado”. 

(Com informações do Blog Política do jornal O Povo)

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247