Governador do Ceará classifica cortes no Bolsa Família como “crime”

Camilo Santana, do PT, afirmou que não são os mais pobres que devem pagar a conta da crise econômica do País; "Fiquei muito triste com a notícia. Pra mim isso é um crime. Na situação do Brasil, quem deve pagar a conta dos erros da má administração do País não é a classe mais pobre, os mais humildes. Infelizmente é o que tá acontecendo", criticou

Camilo Santana, do PT, afirmou que não são os mais pobres que devem pagar a conta da crise econômica do País; "Fiquei muito triste com a notícia. Pra mim isso é um crime. Na situação do Brasil, quem deve pagar a conta dos erros da má administração do País não é a classe mais pobre, os mais humildes. Infelizmente é o que tá acontecendo", criticou
Camilo Santana, do PT, afirmou que não são os mais pobres que devem pagar a conta da crise econômica do País; "Fiquei muito triste com a notícia. Pra mim isso é um crime. Na situação do Brasil, quem deve pagar a conta dos erros da má administração do País não é a classe mais pobre, os mais humildes. Infelizmente é o que tá acontecendo", criticou (Foto: Ana Pupulin)

Ceará 247 - O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), definiu como "um crime" o corte do governo Temer no programa Bolsa Família. Em entrevista à TV Ceará, ele afirmou que não são os mais pobres que devem pagar a conta da crise econômica do País.

"Fiquei muito triste com a notícia que foi veiculada nos meios de comunicação. Pra mim isso é um crime. Na situação do Brasil, quem deve pagar a conta dos erros da má administração do País não é a classe mais pobre, os mais humildes. Infelizmente é o que tá acontecendo", criticou.

Na maior redução de beneficiários da história do programa, o governo atingiu 543 mil benefícios em todo o Brasil com o corte anunciado. Os estados mais afetados foram São Paulo (100.699), Bahia (57.451), Minas Gerais (47.227) e Ceará (41.691).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247