Governador empossa sete novos secretários

Governador Rui Costa deu posse aos novos auxiliares em solenidade na noite de segunda-feira; destaque para o ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner, novo secretário de Desenvolvimento Econômico; "O equilíbrio entre o técnico e alguma sensibilidade política. É isso que nós buscamos. Não interessa ter alguém técnico que não tem sensibilidade do quanto aquilo impacta na melhoria na vida das pessoas", disse Costa ao justificar a escolha dos novos secretários

Governador Rui Costa deu posse aos novos auxiliares em solenidade na noite de segunda-feira; destaque para o ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner, novo secretário de Desenvolvimento Econômico; "O equilíbrio entre o técnico e alguma sensibilidade política. É isso que nós buscamos. Não interessa ter alguém técnico que não tem sensibilidade do quanto aquilo impacta na melhoria na vida das pessoas", disse Costa ao justificar a escolha dos novos secretários
Governador Rui Costa deu posse aos novos auxiliares em solenidade na noite de segunda-feira; destaque para o ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner, novo secretário de Desenvolvimento Econômico; "O equilíbrio entre o técnico e alguma sensibilidade política. É isso que nós buscamos. Não interessa ter alguém técnico que não tem sensibilidade do quanto aquilo impacta na melhoria na vida das pessoas", disse Costa ao justificar a escolha dos novos secretários (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - A equipe do Governo do Estado conta com sete novos secretários, empossados pelo governador Rui Costa nesta segunda-feira (23), em solenidade no auditório da Fundação Luís Eduardo Magalhães (Flem), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. José Vivaldo Mendonça assume a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti); Jaques Wagner, de Desenvolvimento Econômico (SDE); Fernando Torres, de Desenvolvimento Urbano (Sedur); Olívia Santana, do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre); Carlos Martins, de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (JDHDS); Geraldo Reis, do Meio Ambiente (Sema); e Julieta Palmeira, de Políticas para as Mulheres (SPM).

Na ocasião, Rui indicou o critério para a escolha dos secretários. "O equilíbrio entre o técnico e alguma sensibilidade política. É isso que nós buscamos. Não interessa ter alguém técnico que não tem sensibilidade do quanto aquilo impacta na melhoria na vida das pessoas. E também não adianta a pessoa apenas com perfil político, que não saberá executar aquilo que tem feito. A escolha partiu de quem tem conhecimento técnico, além de saber manter ou mudar uma equipe que já está em andamento. Os projetos são do Governo do Estado e não dos secretários", afirmou.

O governador destacou também que o planejamento do Estado foi feito para quatro anos. “Sem mudanças radicais de rumo, os novos secretários têm duas semanas para definir as possíveis alterações de metas e objetivos, ao olhar de cada um. As secretarias estão executando um programa de governo que foi registrado na Justiça Eleitoral e nós estamos cumprindo estes compromissos com a população”.

Desenvolvimento econômico

O novo time gerou expectativas positivas, especialmente na área econômica. Presente na solenidade, o presidente da Federação das Indústrias da Bahia (Fieb), Ricardo Alban, comentou a ida de Jorge Hereda para a Bahiainvest e de Wagner para a SDE. "Temos agora dois amigos na linha direta, compromissados com aumento da produtividade, com o desenvolvimento econômico e social do estado. Vamos trabalhar juntos. As estratégias de governo têm sido um facilitador para vencer a crise. Sabemos das dificuldades fiscais que os estados enfrentam, as dificuldades que as empresas enfrentam, e o nosso trabalho é tentar convergir para encontrar as soluções".

Neste momento de crise econômica, ressalta Jaques Wagner, o diálogo é fundamental. "Precisamos ter inteligência e criar as condições para que novas empresas possam se instalar, para que as que já estão aqui possam se desenvolver. Eu acho que é importante estar aberto ao diálogo e o governador Rui Costa está muito determinado nessa geração de emprego. Eu vou humildemente ajudá-lo a terminar este seu primeiro mandato”.

Desenvolvimento social

De acordo com o coordenador do Movimento Social dos Povos Brasileiros, Vasco Aguzzoli, a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social é a chave para que as políticas públicas sejam efetivadas. “É preciso ter um diálogo direto com o núcleo do governo, e o secretário Carlos Martins, com a percepção que ele tem da gestão financeira, e a sensibilidade que tem para as questões sociais, vai dar uma levantada na secretaria. O secretário Geraldo Reis fez a parte dele, mas como o próprio governador falou, é hora da oxigenação”.

Para Martins, a SJDHDS é um novo desafio. “É uma secretaria complexa, que cuida não apenas da Justiça, mas também dos Direitos Humanos. A nossa pauta é continuar o trabalho já desenvolvido pelo secretário Geraldo Reis e tentar imprimir a nossa forma de ver as coisas. O diálogo com os movimentos sociais e o foco nas prioridades continuam sendo os mesmos”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email