Governador reafirma não ver razões para impeachment

Governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), votou a dizer que não existem razões que justifiquem o afastamento da presidente Dilma Rousseff; "Não há, via crime de responsabilidade, nenhum motivo pelo afastamento da presidente. Se aparecer algum fato contra a presidente, nós defenderemos o impeachment sem nenhum problema", afirmou; socialista disse, porém, que sua fala visa defender a instituição da Presidência da República e não a figura da presidente; "Entendemos claramente que impeachment não é golpe, é um processo que existe na constituição. Mas entendemos, também, que a forma que está sendo conduzida é equivocada, é na base da chantagem. Não defendemos Dilma, defendemos as instituições", destacou

Governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), votou a dizer que não existem razões que justifiquem o afastamento da presidente Dilma Rousseff; "Não há, via crime de responsabilidade, nenhum motivo pelo afastamento da presidente. Se aparecer algum fato contra a presidente, nós defenderemos o impeachment sem nenhum problema", afirmou; socialista disse, porém, que sua fala visa defender a instituição da Presidência da República e não a figura da presidente; "Entendemos claramente que impeachment não é golpe, é um processo que existe na constituição. Mas entendemos, também, que a forma que está sendo conduzida é equivocada, é na base da chantagem. Não defendemos Dilma, defendemos as instituições", destacou
Governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), votou a dizer que não existem razões que justifiquem o afastamento da presidente Dilma Rousseff; "Não há, via crime de responsabilidade, nenhum motivo pelo afastamento da presidente. Se aparecer algum fato contra a presidente, nós defenderemos o impeachment sem nenhum problema", afirmou; socialista disse, porém, que sua fala visa defender a instituição da Presidência da República e não a figura da presidente; "Entendemos claramente que impeachment não é golpe, é um processo que existe na constituição. Mas entendemos, também, que a forma que está sendo conduzida é equivocada, é na base da chantagem. Não defendemos Dilma, defendemos as instituições", destacou (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), voltou a afirmar que não existem razões que justifiquem o afastamento da presidente Dilma Rousseff com base na acusação de que ela teria cometido crime de responsabilidade ao fazer uso das chamadas pedaladas fiscais. "Não há, via crime de responsabilidade, nenhum motivo pelo afastamento da presidente. Se aparecer algum fato contra a presidente, nós defenderemos o impeachment sem nenhum problema", disse.

Segundo o governador, a defesa feita por ele não diz respeito à Dilma, mas a instituição da Presidência da República. "Entendemos claramente que impeachment não é golpe, é um processo que existe na constituição. Mas entendemos, também, que a forma que está sendo conduzida é equivocada, é na base da chantagem. Não defendemos Dilma, defendemos as instituições", disse.

O socialista também defendeu a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), da presidência da Câmara dos Deputados e a sua substituição pelo deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). "Cunha não tem condições de presidir um processo tão importante. Talvez outro deputado tivesse melhores condições. E eu já tenho candidato para assumir o lugar de Cunha: nosso deputado, Jarbas Vasconcelos", afirmou em entrevista à Rádio Jornal do Commercio.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email