Governadores oferecem recursos de repatriação em troca de empréstimos

Governadores das regiões Norte e Nordeste tentaram sem sucesso angariar mais recursos por meio de empréstimos do governo federal oferecendo como garantia os recursos que deverão retornar ao país por meio do programa de repatriação; ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, recusou a proposta por considerar a receita incerta; 14 estados correm o risco de decretar estado de calamidade caso a situação fiscal não seja equacionada

Governadores das regiões Norte e Nordeste tentaram sem sucesso angariar mais recursos por meio de empréstimos do governo federal oferecendo como garantia os recursos que deverão retornar ao país por meio do programa de repatriação; ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, recusou a proposta por considerar a receita incerta; 14 estados correm o risco de decretar estado de calamidade caso a situação fiscal não seja equacionada
Governadores das regiões Norte e Nordeste tentaram sem sucesso angariar mais recursos por meio de empréstimos do governo federal oferecendo como garantia os recursos que deverão retornar ao país por meio do programa de repatriação; ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, recusou a proposta por considerar a receita incerta; 14 estados correm o risco de decretar estado de calamidade caso a situação fiscal não seja equacionada (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Os governadores das regiões Norte e Nordeste tentaram sem sucesso angariar mais recursos por meio de empréstimos do Governo Federal. Dentre as propostas para minimizar a situação de crise financeira vivenciada pelo estados, os governadores ofereceram como garantia os recursos que deverão retornar ao país por meio do programa de repatriação.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, recusou a proposta por considerar a receita incerta. Diante da recusa, de acordo com o jornalista Fernando Rodrigues, do UOL, os governadores apelaram para suas bancadas no Congresso para que pressionem o governo Michel Temer a aceitar a proposta sob a alegação de que 14 Estados poderão decretar calamidade pública caso os recursos não sejam viabilizados.

Uma reunião de emergência para discutir o assunto deverá ser marcada ainda esta semana. Os governadores do Norte e do Nordeste reclamam principalmente de não terem obtido vantagens significativas com o acordo de renegociação das dívidas estaduais, que beneficiou sobremaneira os estados do Sul e Sudeste. A avaliação é que quem deve muito acabou sendo melhor aquinhoado do que os que devem pouco.

A situação acaba por colocar o governo Temer em uma saia justa, já que vem sendo utilizando o discurso de que não é o responsável pela crise econômica. Apesar disso, caso nada seja feito, ele poderá herdar o ônus de não ter agido e contribuído para o agravamento da situação.  

A receita dos Estados com a repatriação de dinheiro no exterior – cujos valores são estimados em até R$ 70 bilhões - ainda é incerta, já que depende da cobrança de impostos sobre os valores depositados irregularmente no exterior. Ainda não há certeza também se os valores serão de fato repatriados.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247